Mais uma triste história envolvendo uma família inteira, o subtenente da Polícia Militar Cláudio Guimarães Muller de Azevedo, de 43 anos, sua esposa a fisioterapeuta Catarina Teixeira Muller, de 36 anos e o filho do casal de 11 anos de idade. A tragédia aconteceu na madrugada desta quarta-feira (15), a família foi descoberta morta por volta das 12h00, dentro do apartamento.

Segundos relatos de alguns vizinhos ouviram os disparos na madrugada, porém não sabiam de onde vinha o barulho, pois o condomínio onde o policial morava tem várias torres uma muito próxima à outra. A família morava no Condomínio Loteamento Aquarius no bairro da Pituba, em Salvador na Bahia.

Publicidade
Publicidade

Cláudio Muller estava escalado para trabalhar nesta quarta-feira, como não era um costume do subtenente faltar, os colegas de trabalhos estranharam e ligaram para ele, que não atendeu as ligações. Então os policiais foram até o condomínio onde o PM morava, e interfonaram, como também não atendia, eles procuraram um tio de Cláudio que morava no mesmo edifício e que tinha uma chave reserva da casa, e ao entrarem na residência se depararam com a tragédia.

O filho do casal estava morto baleado em cima da cama dos pais, a esposa do policial estava morta no quarto da criança, e o policial estava morto com a arma ao seu lado.

Foi um choque para todos os familiares que não conseguiam entender o porquê da tragédia.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), estiveram no local e periciaram a cena do #Crime.

Publicidade

De acordo com o DHPP, a mulher e a criança foram alvejados 3 vezes, e o policial possuía uma perfuração na cabeça. A arma foi levada para ser periciada. Segundo o responsável pelas investigações, o subtenente teria chegado em casa por volta de 01h30min e meia hora após foram ouvidos os disparos.

A polícia trabalha com a linha de investigação de duplo homicídio seguido de suicídio, mas ainda apura as circunstâncias do crime e a motivação. As câmeras de segurança instaladas no condomínio foram recolhidas, parentes, vizinhos e amigos do casal também serão ouvidos.

Em entrevista, um colega de farda de Cláudio Muller, informou que ele era um policial de procedência ilibada, e tinha comportamento exemplar, um homem muito discreto, declarou.

Em nota, a Polícia Militar lamentou as mortes e informou que o subtenente, era lotado na 35ª CIPM (Iguatemi) e há 18 anos fazia parte da corporação. #Investigação Criminal