A Polícia Civil do Ceará prendeu na manhã de hoje (7), quatro suspeitos de participação no espancamento e assassinato da travesti Dandara dos Santos, 42 anos, em Fortaleza. Segundo André Costa, secretário da Segurança e Defesa Social do estado, três dos acusados aparecem no vídeo que teria sido gravado pelo quarto indivíduo também preso.

O mandado para internação dos quatro apreendidos que são menores de idade foi expedido no sábado, 4, pelo juiz Epitácio Quezado Cruz Júnior, para que fiquem internados provisoriamente no centro socioeducativo por 45 dias, enquanto ocorre o julgamento do caso. Há ainda dois maiores de idade envolvidos no #Crime, que continuam foragidos.

Publicidade
Publicidade

O jornal local O Povo noticiou que, além do espancamento, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) informou que Dandara foi também baleada.

Apesar de o assassinato brutal ter ocorrido no dia 15 de fevereiro, a imprensa passou a noticiá-lo somente depois que o vídeo da agressão se propagou pela internet. Durante a sessão de tortura, é possível ouvir os agressores ofendendo a vítima, não restando dúvidas de que a motivação do crime foi a #Transfobia.

No dia 4 de março, mais de duas semanas após a morte de Dandara, o Governo do Ceará publicou uma nota de repúdio aos "atos de #Violência e intolerância" contra ela. Dois dias antes do ocorrido, outra travesti, Hérica Izidoro, de 24 anos, foi agredida durante uma festa de pré-carnaval, sendo levada ao hospital em estado grave.

Hérica sofreu traumatismo craniano e chegou a perder massa encefálica após ter sido espancada por mais de dez homens e jogada de um viaduto na avenida José Bastos.

Publicidade

Sobre ela, a grande imprensa não noticiou.

Segundo o governador Camilo Santana, uma reunião deve ocorrer ainda nesta terça-feira, 7, para se discutir políticas públicas que visem à proteção da comunidade LGBT e à devida punição dos crimes de ódio.

Um ato acontecerá na próxima sexta-feira, dia 10 de março, em repúdio ao assassinato de Dandara e contra a violência transfóbica. A manifestação está sendo organizada pelos grupos Resistência Asa Branca - GRAB, Fórum Cearence LGBT e o Conselho Municipal; a concentração está prevista para se iniciar às 9 horas da manhã na Praça Luiza Távora / CEART, em Fortaleza.