Um dos acusados de ter participado do linchamento de uma adolescente na segunda-feira (20), no bairro de Santo Amaro, no Recife, foi preso pela polícia na noite de quarta-feira (22), no bairro de Sítio Novo, na cidade de Olinda, em Pernambuco (PE). O acusado foi identificado pela polícia como Felipe Henrique Matos, de 28 anos, mais conhecido popularmente como “Filipinho”.

Segundo informações da polícia, Filipinho é um dos suspeitos que aparece nas imagens de bermuda branca, o mesmo que é visto cortando o cabelo da vítima com uma tesoura. Ainda de acordo com a polícia, Filipinho já tem várias passagens pela polícia, e em uma delas cumpriu quase três anos de cadeia.

Publicidade
Publicidade

Os outros três acusados já foram identificados mais ainda estão foragidos. Segundo informações repassadas pelo delegado Erivaldo Guerra, titular da Delegacia de Polícia de Boa Vista, o trabalho de investigação começou no mesmo dia que a jovem foi espancada. Ainda de acordo com o delegado, o suspeito foi encontrado na casa da sua tia, na comunidade do V-8, em Olinda.

Filipinho foi preso e encaminhado para a delegacia da cidade para prestar mais esclarecimento sobre o caso. Após o seu depoimento, foi autuado pelo #Crime de tortura e perseguição, e caso seja condenado, pode pegar até oito anos de cadeia. Conforme relatos da polícia nesta quinta-feira (23), o acusado vai ser encaminhado a uma audiência de custódia. Filipinho já foi acusado de um assassinato e, na ocasião, cumpriu pena de 2 anos e 9 meses, e também tem passagem pela polícia por ameaça e lesão corporal.

Publicidade

Conforme relatos do delegado Erivaldo Guerra, Filipinho é considerado pela polícia um sujeito muito perigoso. Segundo o delegado, ele é um traficante da comunidade do Campo do Onze e membro da gangue Demônios da Ilha do Maruim, na cidade de Olinda.

O espancamento

O crime ocorreu na segunda-feira (20), quando uma garota, de 17 anos, foi espancada, despida e teve o seu cabelo cortado. Em seguida, ela foi obrigada a correr nua pelos becos da comunidade Santo Amaro, no Recife. Segundo informações, as agressões ocorreram devido à vítima ter passado algumas informações para a polícia sobre traficantes que atuam na comunidade. #Investigação Criminal #Casos de polícia