No início deste ano o prefeito Waguinho do PMDB tomou posse da prefeitura do município de Belford Roxo, no Rio de Janeiro e já começou de maneira inadequada. Ele está sendo acusado de ter criado um cabide de emprego para a irmã Fabiane dos Santos Carneiro, o que é considerado nepotismo e proibido por lei. Logo no início do mandato em 20 de janeiro, ele criou uma secretaria que até hoje não saiu do papel, na qual a irmã ocuparia o cargo de gestora da pasta. Apesar de ainda não ter nem sede a Secretaria municipal de Proteção aos Animais, já está funcionando, mas apenas virtualmente, uma vez que nenhum trabalho foi realizado, mas a irmã do político já está recebendo salário pelo cargo.

Publicidade
Publicidade

Procurado pela imprensa, o porta voz do prefeito disse que o político está muito feliz de ter nomeado a irmã e que não considera que a situação seja a de nepotismo. Para ele, a familiar exerce um importante papel na área de ajuda aos animais e que por isso ele tem certeza de que ela realizará um ótimo trabalho. Questionado sobre a necessidade da existência da secretaria, ele disse que considera esse um tema importante. O prefeito teria achado uma lacuna na Súmula Vinculante 13, e procurando a Procuradoria Geral do Município, conseguiu aprovar a ação no STF. Outro prefeito também tentou fazer o pedido para realizar o mesmo feito, mas acabou sendo infeliz. Marcelo Crivella do PRB, prefeito da cidade do Rio de Janeiro queria nomear o próprio filho para o cargo na Casa Civil, mas acabou sendo barrado pelo judiciário.

Publicidade

O caso trouxe repercussão no município de Belford Roxo, e desagradou aos moradores da cidade que se dizem contrários ao cargo e à secretaria, considerando-os um exemplo claro de nepotismo. De maneira geral essa não uma agenda comum adotada pelos municípios, pelo menos não como prioridade. Outras urgências demandam secretarias bem formadas e com pessoas capacitadas para o cargo. Outros funcionários da prefeitura foram procurados, mas acabaram não dando entrevista, já Fabiane respondeu dizendo que não pode dar mais detalhes sobre o trabalho que exercerá uma vez que ainda não está realizando-o. Quando foi procurada por uma segunda vez não atendeu à chama, assim como o prefeito que agora se recusa a falar.

#Crime #Investigação Criminal