Parte da região nordeste do Brasil sempre sofreu por causa da seca. A maioria dos rios locais tem um regime pluvial temporário, ou seja, eles dependem de chuva para que se mantenham cheios.

A escassez de chuva transforma várias regiões em desertos, causando sérios problemas à população que vive nessas áreas. Há, inclusive, casos em que a terra já foi bastante degradada pelo homem e que já não tem mais vida.

Já se fez muita coisa para melhorar esse cenário - a construção de açudes e de barragens, por exemplo, como forma de armazenar água para os períodos de seca. Mas um projeto de grandes proporções, iniciado em 2008, começa a mudar esse cenário de dificuldades e levar esperança e mais vida a quem vive nas regiões que sofrem por falta de água: o Projeto São Francisco, cujo objetivo é garantir aos municípios com dificuldades hídricas a solução desse problema. Esse é o maior projeto de infraestrutura que atualmente se desenvolve no país.

Água para o Nordeste: o Projeto de Integração do Rio São Francisco

O programa faz parte da Política Nacional de Recursos Hídricos do Governo Federal e contemplará 390 cidades dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A transposição do Velho Chico em números

Cerca de 12 milhões de pessoas serão beneficiadas com a segurança hídrica que a integração do rio São Francisco promoverá. A obra tem, no total, 477 quilômetros de extensão divididos em Eixo Norte e Leste. Desses, 15 quilômetros são de túnel (o maior da América Latina).

Mais alguns dados sobre o programa:

  • 13 aquedutos
  • 27 reservatórios de água
  • 270 quilômetros de linhas de transmissão
  • 4 túneis
  • 9 subestações de 230 KW
  • 9 estações de bombeamento

Transposição do rio São Francisco promove vários benefícios às cidades

Livrar-se do flagelo da seca é o principal benefício ganho pelas cidades que estão no “roteiro” do Novo Chico.

As cidades que sofriam com a escassez de água durante todo o ano têm agora, além da solução para esse problema, outros benefícios - diretos ou indiretos -, que impactarão na vida da população. Os benefícios incluem a melhoria de aspectos sociais, pois o projeto promoverá uma melhor qualidade de vida às pessoas e também a oportunidade de alavancar a economia das cidades do interior nordestino.

O Projeto São Francisco além do curso das águas

O projeto já começou a mudar a realidade de pessoas no caminho do “Novo Chico”, por meio das Vilas Produtivas Rurais. Essas famílias moravam no percurso da obra e agora vivem em comunidades que contam com casas (com água, energia elétrica e esgoto), escolas, postos de saúde, quadras poliesportivas e outros.

Esses moradores também receberam os chamados "setores produtivos", que são pedaços de terra para que trabalhem na produção de alimentos, garantindo, dessa forma, a sustentabilidade das famílias assentadas nas vilas rurais. Como preparação, os agricultores ganharam também cursos de capacitação, visando adquirir ou renovar conhecimentos e aplicá-los em suas produções.

A fauna e a flora também foram contempladas pelo projeto, por meio das iniciativas socioambientais. O projeto conta com profissionais trabalhando em inventário, monitoramento e resgate em áreas que o Projeto de Integração abrange.

O projeto envolve 38 programas que englobam ações de reconhecimento profundo do bioma da caatinga e também conhecimentos a respeito dos aspectos socioeconômicos e arqueológicos da região.

Os 38 programas envolvem educação ambiental, comunicação social, recuperação de áreas degradadas, reassentamento de populações, apoio a prefeituras e a comunidades indígenas e quilombolas, compensação ambiental e controle da saúde pública, citando alguns.

O investimento no projeto dos programas ambientais foi de mais de R$ 1 bilhão, o que corresponde a mais de 10% do orçamento global do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Pode-se dizer que, além do Novo Chico, está nascendo um Novo Nordeste, uma nova vida a pessoas que sobreviviam em um ambiente de extrema pobreza e que agora podem viver com mais dignidade. #Projeto Rio São Francisco #Transposição do Rio São Francisco #água para o Nordeste