O goleiro Bruno Fernandes pode ser impedido de voltar a jogar. A informação pode acontecer devido à fúria de muitos torcedores. De acordo com uma matéria publicada nesta segunda-feira, 6, pelo portal de notícias G1, o ex-atleta virou alvo de críticas de um clube do Rio de Janeiro que está negociando contrato. O episódio acontece no Bangu, time da primeira divisão do campeonato carioca. A volta aos gramados de Bruno pode ser impedida devido a vários abaixo-assinados contra ele. Esse não é o único clube que faz protestos na internet. Desde que o Ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), anunciou o habeas corpus de Bruno, grupos usam as redes sociais para falar que tal benefício seria uma informação absurda.

Publicidade
Publicidade

O Ministro revelou que Bruno ainda aguarda um recurso contra a decisão de prendê-lo. Ele foi condenado a 22 anos de prisão, mas com quase sete anos de detenção recebeu o benefício de esperar a decisão do recurso ainda em liberdade. A fúria e o abaixo-assinado dos torcedores de diversos clube começaram após um depoimento do advogado de Bruno Fernandes, Lúcio Adolfo, que informou que pelo menos nove clubes estariam interessados no passe do jogador. "Não posso dizer quais para não atrapalhar a negociação", revelou ele, que informou ainda que a expectativa é que Bruno volte ainda esse ano ao futebol brasileiro.

É bom lembrar que Bruno estava preso em Minas Gerais e avisou ao Fórum local sobre sua mudança ao Rio de Janeiro. Essa era uma obrigação tomada pelo atleta, segundo a determinação para o seu habeas corpus.

Publicidade

Ele precisa sempre anunciar onde é sua residência fixa. A mudança para o Rio de Janeiro indica que o sonho do jogador é mesmo voltar a ficar na cidade maravilhosa e jogar na região. O ex-clube de Bruno, o Flamengo, já informou que não tem o menor interesse no jogador, que quando foi preso estava em seu auge. Ele era uma espécie de herói do clube e cotado para integrar a seleção brasileira. Ninguém ainda sabe como será essa volta aos gramados. #Crime #Investigação Criminal