Nesta quinta-feira, 16, um vídeo publicado pelo portal de notícias G1, mostra uma reviravolta envolvendo o caso do menino João Victor, de 13 anos. Ele ficou conhecido como "Menino do Habib's", já que, inicialmente, acreditou-se que ele teria sido morto por funcionários da rede de fast food. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) mostrou que o garoto, na verdade, teria morrido após ingerir substâncias ilícitas, como o lança-perfume. O coração dele teria parado de funcionar. A morte ocorreu na Zona Norte de São Paulo. No vídeo conseguido com exclusividade pelo portal, em parceria com o canal a cabo Globo News, João Victor aparece agredindo um funcionário da lanchonete.

Publicidade
Publicidade

Cenas envolvendo menino provocam polêmica e reabrem discussão

Ele lança contra o homem o que seria um pedaço de madeira. O vídeo, em parte, confirma os depoimentos dos funcionários do 'Habib's', que garantem que o menino era agressivo. Nas imagens, o pedaço de madeira chega a atingir o carro de um dos clientes do estabelecimento. A família de João não concorda com o laudo dado pela polícia e tenta na justiça conseguir a exumação do corpo do menino.

O caso tomou enormes proporções e divide a internet brasileira. Muitos acreditam que o menino tenha mesmo sido agredido. Por enquanto, ainda não houve uma resposta em relação a isso.Para assistir às imagens, por se tratar de um material exclusivo, é necessário acessar o próprio G1. O link pode ser visto abaixo.

Uma outra coisa sobre o caso que está dando o que falar é a divulgação de posts do próprio Habib's sobre o caso.

Publicidade

O Ministério Público está analisando as postagens, já que o caso está em segredo de justiça e envolve o fato do morto ser um menor de idade. E você, o que achou da divulgação dessas imagens que, certamente, devem ser usadas na hora do julgamento sobre o caso que tomou grande repercussão na cidade de São Paulo e no Brasil inteiro? Deixe o seu comentário. A sua opinião é sempre muito importante para todos nós e ajuda no diálogo de temas relevantes para toda a sociedade. #Crime