O dinheiro que estava nas mãos dos produtores rurais do estado de Mato Grosso, após a colheita de uma super #Safra de Soja, está sendo desperdiçada nas estradas esburacadas, ou em estradas de ‘’chão batido’’ mal conservadas. No inicio de março, bastou uma chuva torrencial para fazer com que milhares de caminhoneiros ficassem encalhados na rodovia 163, que durou mais de 10 dias, impossibilitando os motoristas de chegar aos portos do Norte do país.

O caso demonstrou o descaso dos últimos governos federais com as rodovias. Além de ocasionar a perda de parte da produção agrícola, o problema também gera multa diária aos navios parados em portos.

Publicidade
Publicidade

As últimas chuvas acabaram prejudicando alguns trechos da rodovia que separa os municípios de Trairão e Novo Progresso. Isso acabou gerando um congestionamento em mais de 50 km de rodovias. De acordo com as últimas estatísticas apontadas pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), estima- se que a situação de 103.260 quilômetros de rodovias em péssimas condições de tráfego, onde 25% receberam avaliações ruins ou péssimas.

O maior problema para o governo é que são considerados péssimos os trechos utilizados para o escoamento da safra agrícola. De acordo com informações da Sociedade Nacional de #Agricultura, o maior problema está relacionado ao fato dessas rodovias nunca terem recebido qualquer investimento para se igualar ao crescimento do agronegócio. Para o SNA, a única saída para o problema seria a adoção de uma medida do Ministério dos Transportes que fortaleça a iniciativa privada caso o governo não se sinta capaz de administrar as rodovias.

Publicidade

Atualmente, o problema está prejudicando o segmento responsável por um terço do PIB. Mesmo com o encolhimento da economia, o setor agropecuário continua em fase de crescimento e atualmente é o setor que mais gera empregos na economia brasileira. Na última semana, o ministro da Agricultura se reuniu com produtores rurais para tentar chegar a uma definição para a BR 163. O Ministério da Agricultura estima que o prejuízo para a safra 2017 será de R$ 350 milhões. O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais, Carlo Lovatelli, afirmou que por causa do problema o Brasil está queimando notas de US$100,00 uma atrás da outra. #Colheita de soja