Sailson José das Graças tem o Ensino Fundamental incompleto, já trabalhou como pintor, servente de pedreiro e até mesmo eletricista. Sempre teve um histórico violento, na qual brigava muito com os familiares e espancava as irmãs. Já foi preso três vezes, uma por roubo; outra por porte ilegal de arma de fogo e uma faca, quando ficou apenas três meses encarcerado; e em 2014 foi preso novamente, mas dessa vez por furto.

Mesmo com a grande quantidade de vezes que passou por delegacias, a polícia nunca chegou a suspeitar que estivesse diante de um #serial killer frio e calculista, que confessou o assassinato de 38 mulheres e dois homens desde quando tinha apenas 17 anos de idade, no ano de 2005.

Publicidade
Publicidade

Atualmente, ele está com 29 anos.

Em um vídeo gravado por policiais da #Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, o serial killer contou em detalhes como escolhia e as suas preferências pelas vítimas. Sailson afirmou que ficava bastante nervoso quando não matava, e logo após assassinar alguém, já se sentia mais tranquilo. Ele disse também ter preferência por mulheres de pele clara, cabelos longos e rosto atraente.

O assassino passava horas a fio durante a noite procurando a vitima perfeita e o momento certo para cometer os crimes. Todos os investigadores criminais que assumiram o caso ficaram convencidos com o depoimento de Sailson, pois ele deu uma vasta quantidade de detalhes dos crimes. Existe uma grande preocupação de que a polícia ainda não tenha conectado as relações de todos os crimes que foram confessados pelo assassino.

Publicidade

A Justiça carioca decretou a prisão do serial killer, que está respondendo por nove processos. São seis por homicídios, além de ser réu por cinco tentativas de assassinatos. Ainda sem advogado, ele está sendo defendido pela Defensoria Pública.

Um exame médico chegou à conclusão que ele não possui nenhum transtorno mental. Mas, logo depois da confissão, Sailson mudou totalmente seu depoimento, afirmando que toda a história contada não passava de uma invenção e que nunca existiu.

Alexandre Guimarães, que é o juiz responsável pelos processos contra Sailson, marcou um dos julgamentos para o dia 8 de abril. Em maio, ele será julgado por mais um assassinato. Os outros processos foram deixados para depois. #rj