Depois de o pastor Silas Malafaia ter provocado um grande escândalo entre os evangélicos ao ter ser nome citado em toda mídia brasileira por estar envolvido em esquema de corrupção e lavagem de dinheiro, ele voltou a causar polêmica.

Mas, desta vez, o caso é diferente, pois o pastor ergueu a sua voz e faz ataques e acusações prosseguindo com sua cruzada se autointitulando zelador da moral e dos bons costumes.

Disney exibe beijo gay e provoca a ira do pastor

Em um vídeo divulgado por ele em seu canal do YouTube, o pastor fez criticas e atacou a empresa de entretenimento #Disney por transmitir um beijo entre dois homens em um desenho animado transmitido pela TV norte-americana.

Publicidade
Publicidade

Ele ficou bem irritado e alegou que a Disney deseja erotizar as crianças e ensinar o homossexualismo.

Depois de apresentar todos os seus argumentos, Malafaia pediu para todas as pessoas religiosas, católicos ou evangélicos, boicotarem os produtos da Disney. Ele disse: “Não comprem produtos da Disney e cancelem os canais. Vamos dar uma resposta a esta empresa que está patrocinando o homossexualismo.”

Pastor pediu boicote

Ainda que muitos possam até concordar com o pastor, já que ele fala para um grupo específico de religiosos e que concorda com seus argumentos conservadores, mesmo assim ele foi bastante criticado por sua postura de ataque e acusação.

Muitos chegaram a questionar que autoridade que Malafaia teria para acusar a Disney e falar de moral, já que responde por um processo onde é acusado de lavagem de dinheiro.

Publicidade

Alguns ainda estranham que o pastor, num momento como este, venha falar publicamente de assuntos que deviam ficar restritos à sua igreja. Eles questionam se não seria uma tática do pastor para desviar a atenção sobre a denúncia que recai sobre ele.

Não é a primeira vez que Malafaia pede boicote para empresas que divulgam a homossexualidade. Ele já pediu o boicote ao Boticário e Avon, embora sem muito sucesso. Será que neste momento que ele se vê em maus lençóis ele vai ter a mesma sorte? Veremos. #evangelicos #Religião