Um vídeo gravado durante uma abordagem noturna de rotina da Polícia Militar de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, virou assunto e motivo de risadas nas redes sociais.

Tudo por conta de uma mudança repentina no comportamento do suspeito averiguado. As imagens, feitas por um aparelho celular, mostram que o rapaz alvo da abordagem está totalmente enfurecido.

Com uma valentia talvez potencializada por uso de álcool ou outra substância química, o rapaz grita muito, xinga o policial de vários palavrões, entre eles “otário”, “porco” e “sem vergonha”, para não citar os mais pesados. Um conhecido dele tenta acalmá-lo, pede para ele parar com as ofensas e o empurra para longe do agente.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o jovem não se intimida. Chega a chamar o policial para a briga. “Por que você não mata eu (sic). Você não queria trocar soco comigo? Vem aqui trocar soco”.

E ainda faz muitas ameaças: “Se você não me levar morto, se você não me matar, eu levo toda a sua família. Tenho medo de polícia não. Vou até o final”, repete.

“Para mano, para”, pede o colega.

Enquanto o suspeito se preparava para disparar ainda mais ameaças, ouve-se um barulho de pneus cantando. É a viatura da guarnição de choque que chega de forma inesperada e acaba com a falação do sujeito.

Cinco policiais armados e de alta estatura vão até o rapaz e ordenam que ele coloque a mão na cabeça e se deite no chão. A valentia acaba e ele fica em silêncio, obedecendo todos os comandos, enquanto é revistado.

Um dos policiais de elite vai até o PM e o cumprimenta.

Publicidade

A calma volta a reinar na rua.

O vídeo, com mais de um minuto e quarenta segundos, já teve quase 6.500 compartilhamentos em um dos posts onde foi publicado. Os comentários são unânimes em aplaudir os policiais. Muitos fazem graça com a mudança de comportamento do averiguado ao ser enquadrado pelos agentes do choque.

“Ué, tava todo macho, virado no giraia? Acabou a valentia? (sic)”, pergunta um internauta. O outro segue na mesma linha: “Cadê o bonzão que não tem medo da polícia agora?”.

#Crime