Hoje pela manhã uma das mais movimentadas lojas do Mc Donald's de São Paulo foi local de um crime.

A unidade da franquia que fica na esquina das Avenidas Rebouças com Henrique Schaumann, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, foi palco de um homicídio, dentre tantos outros, que acontecem periodicamente nas grandes cidades.

Saidinha de banco

Segundo a assessoria da Polícia Militar de São Paulo, o que ocorreu foi uma tentativa de assalto, daquelas famosas 'saidinhas de banco', onde a vítima faz uma retirada de uma boa quantia de dinheiro e, sem saber, é seguida pelos ladrões até determinado local, onde geralmente é roubada.

Publicidade
Publicidade

Geralmente, porque no caso do #McDonald's hoje, a vítima era um #Policial Civil que havia acabado de sacar uma quantia de dinheiro em uma agência próxima dali. Para azar dos ladrões, o policial reagiu ao assalto e fez vários disparos contra os marginais, acabando por matar um deles.

Polícia ainda procura por outros ladrões

Ainda segundo a Polícia Militar, eram quatro os ladrões que tentaram assaltar o Policia Civil na lanchonete, e com a inesperada reação da vítima, os outros três acabaram fugindo do local.

A Polícia Militar não soube informar ao certo se há mais algum ferido entre os bandidos, e continua atrás dos três ladrões foragidos.

Já pela versão de policiais civis que estavam no local, eram três assaltantes que teriam abordado a vítima - que estava dentro do seu carro na fila do drive-thru.

Publicidade

Apesar do tiroteio e da morte a lanchonete funcionou normalmente, e apenas a área do drive-thru foi interditada para a atuação da perícia da Polícia Civil. Tanto o corpo do bandido morto quanto o carro do policial civil também ficaram no local a fim de serem periciados.

Por sorte dos frequentadores do McDonald's, ninguém se feriu durante a tentativa de assalto e do posterior tiroteio, mas os momentos de tensão vividos por quem estava lá vão fazer parte de suas lembranças por muito tempo, e com certeza serão histórias para serem contadas para os amigos nas rodas de bar e nas redes sociais. #Casos de polícia