A repercussão da Operação Carne Fraca ainda é um assunto em destaque na internet e na mídia em geral. Entre as empresas investigadas pela #Polícia Federal está a JBS, responsável pela marca Friboi.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, na segunda-feira (20), o ator #Tony Ramos, que é garoto-propaganda da marca, disse que se for confirmada a conduta irregular da Friboi, ele vai interromper o contrato com o frigorífico.

Segundo ele, antes de tomar qualquer decisão de romper o contrato com o frigorífico, aguarda uma definição da PF sobre o caso. Para o ator, se houver qualquer coisa que deprecie sua relação com a marca, ele tem todo o direito de interromper o contrato.

Publicidade
Publicidade

Tony Ramos acredita que precisa esperar o resultado das investigações para tomar sua decisão.

O global, conhecido por seus diversos trabalhos em novelas, filmes e teatro, disse que antes de aceitar trabalhar na divulgação da Friboi fez pesquisas para saber da confiabilidade da empresa, pois sabe que sua imagem traz confiança para o público e não queria ter ligação com nenhuma empresa desonesta.

Na entrevista concedida à emissora de rádio, o ator fez questão de ressaltar que é um profissional da comunicação e, diante disso, recebe pelos anúncios. De acordo com ele, é perigoso quando pessoas públicas associam seus nomes com marcas como ele fez, pois nunca se sabe o futuro daquela empresa.

Para ele, geralmente, essas pessoas não têm culpa da má conduta das empresas, mas em alguns casos a imagem do ator acaba sendo prejudicada por isso.

Publicidade

Tony Ramos ressalta que não precisa fazer propaganda para viver e que se toda a investigação da PF for comprovada, ele poderá vir a público para esclarecer os fatos.

A operação

Deflagrada na última sexta-feira (17), a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, investiga grandes empresas responsáveis pelo fornecimento de carnes e embutidos no Brasil.

De acordo com os primeiros relatórios emitidos pela PF, grandes empresas deste ramo estão envolvidas em pagamento de propina, fraude e irregularidades dos produtos, como o uso exagerado de componentes químicos, venda de carne estragada, alteração no peso de frangos e uso de cabeça de porco na produção de embutidos. #Carne Fraca