A morte recente da travesti Dandara reacendeu a discussão sobre os crimes de ódio contra homossexuais e outros membros da classe LGBT no Brasil. Infelizmente, o #Crime contra Dandara não é o único envolvendo esse nicho marginalizado da sociedade. Nesta quarta-feira, 15, por exemplo, uma travesti foi encontrada nua, jogada à beira de uma estrada do bairro Cajazeiras, na Bahia. A vítima foi identificada como Camila Albuquerque. Nossa reportagem recebeu algumas imagens do momento em que a polícia achou o corpo e a perícia foi feita. A travesti foi identificada como Camila Albuquerque. Ela era conhecida pelas amigas, que fazem programa na região, como 'Camilinha'.

Publicidade
Publicidade

Camilinha levou mais de quinte tiros de arma de fogo. Uma amiga da garota de programa conversou com o site 'Correio 24 Horas' e garantiu que a vítima era uma pessoa muito boa e que o que aconteceu foi feito por alguém do mal. Ela era uma pessoa do bem, maravilhosa. Foi muita maldade o que fizeram com ela. Foi muita crueldade”, explicou a entrevistada, que não teve o nome revelado. A polícia acredita que a morte de Albuquerque tenha ocorrido por vingança. Horas antes do crime, ela usou a sua página no Facebook dizendo que não se rebaixaria ao ódio. Veja abaixo a mensagem publicada na rede social:

Uma outra amiga de Camilinha conta que ela estava muito estranha nos últimos dias e que já não aparecia alguns dias para trabalhar, pois temia represália. A Polícia Civil da Bahia acredita que a morte de Camila esteja relacionada a outro crime de grande destaque na Bahia, a morte do segurança Djair Souza, conhecido por trabalhar durante anos para o grupo musical Olodum.

Publicidade

A Polícia informa que outro segurança teria marcado um encontro com a transexual no local do crime. O delegado que investiga o caso, Jamal Amad, diz que todas essas informações estão sendo apuradas e que os agentes já estão na busca ao suspeito do assassinato. A transexual foi encontrada nua, atrás de um contêiner, na beira da estrada. “Acreditamos que se trata de uma vingança à morte dele (segurança do Olodum)", explicou o delegado.