Carlos Anderson da Silva, de 45 anos, radialista e vereador, foi preso na quarta-feira (8) pela polícia acusado de estupro de vulnerável e maus tratos a animais na cidade de Carmo do Cajuru, em Minas Gerais. O suspeito é mais conhecido popularmente como Carlos Henrique da Rádio.

Para a polícia, ele é o principal suspeito de ter abusado sexualmente de seis crianças com idade entre 7 e 11 anos. Carlos Silva foi o vereador mais votado nas eleições de 2016. Ele se elegeu com 674 votos pelo PDT e ocupa umas das 11 cadeiras da Câmara Municipal de Carmo do Cajuru.

Segundo informações repassadas pela polícia, há cerca de um mês foram recebidas denúncias relatando que o vereador estava abusado sexualmente de algumas crianças. Todas as vítimas foram ouvidas pela polícia e confirmaram os abusos, além de contarem detalhes sobre como ocorreram os abusos.

No decorrer das investigações, os policiais descobriram que as vítimas eram carentes. O suspeito se aproveitava da situação, e convidava as vítimas para ir até a sua residência, com o pretexto delas cuidarem de animais e nadar.

Mas a intenção com as crianças eram outras. Na casa do acusado, as vítimas eram obrigadas a assistir filmes pornográficos. Por sua vez, o vereador ainda se masturbava na frente das vítimas. Segundo as investigações, os crimes já vinham acontecendo há cerca de dois anos.

Na residência do suspeito foram apreendidos seis celulares, cinco pen drives, uma câmera digital, seis HDs externos, duas mochilas infantis, cadernos, lápis e quatro fotos de vítimas.

De acordo com o delegado Weslley Amaral de Castro, uma das vítimas teve o estupro comprovado após ter feito exame de corpo de delito. A menina apresentava ferimento na vagina e no ânus. Segundo o delegado, há suspeitas que outras crianças também foram abusadas pelo vereador.

Carlos Henrique da Rádio prestou depoimento e negou todas as acusações. Ele disse que gosta de crianças e sempre quis ajudá-las. Após o depoimento, o vereador foi encaminhado para a Penitenciária de Floramar, em Divinópolis.

Carlos também foi autuado por crime ambiental, pois em sua residência os policiais encontraram animais silvestres, como, araras e cágados. Também havia um local onde os animais eram maltratados. O suspeito já foi preso uma vez por calúnia. A polícia contínua investigado o caso. #Política #Investigação Criminal #Casos de polícia