O caso mais emblemático da semana, que teve grande repercussão e visibilidade nas redes sociais e jornais, foi do João Victor Souza de Carvalho, o adolescente, de 13 anos, morto por funcionários da rede de fast food Habib’s. O adolescente tinha o hábito de frequentar a lanchonete, situada à Avenida Itaberaba, Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte de São Paulo, para pedir dinheiro, na área externa do estabelecimento.

No domingo passado (26/2), o adolescente, ao ser perseguido pelos seguranças e gerente da lanchonete, foi agredido e, após a agressão, sofreu parada cardiorrespiratória que o levou à morte. O pai do adolescente informou que João Victor já estava sendo ameaçado pelo segurança, mas continuava pedindo dinheiro em frente ao estabelecimento, pois acreditava que não incomodava os frequentadores da lanchonete.

Publicidade
Publicidade

A perseguição e agressão pelo segurança do estabelecimento foram testemunhadas por Silvia, catadora de material reciclável. Segundo a testemunha, após a agressão, o segurança e o gerente do Habib’s pegaram o adolescente pelo braço e tentaram levá-lo novamente para perto da lanchonete. Poucos metros depois, no entanto, João Victor desmaiou e foi deitado no chão pelos funcionários do fast food. Quando se aproximou do adolescente, Silvia disse que ele estava inconsciente e com a boca espumando.

O vídeo, que viralizou nas redes sociais, mostra imagens que comprovam o #Crime, segundo o advogado Ariel de Castro Alves, que acompanha a família do adolescente. Para o advogado, "essas imagens reforçam o depoimento da testemunha. É um indício de que os funcionários do Habib's podem ter praticado agressões que desencadearam a morte da criança".

Publicidade

O caso foi registrado na 13º DP como morte suspeita. Ainda não saiu o resultado do laudo que comprova a causa da morte do adolescente. A polícia aguarda o resultado para dar continuidade à investigação.

Após a divulgação das imagens, a medida adotada pela rede de fast food Habib's foi demitir os funcionários do estabelecimento suspeitos de cometerem o crime que ocasionou a morte de João Victor, até que o caso seja esclarecido. A empresa emitiu uma nota sobre o caso, e informou que está colaborando para que tudo seja esclarecido.

O Habib's divulgou ainda que "repudia todo e qualquer ato de violência física ou moral realizada por qualquer pessoa, por qualquer que seja o motivo e está bastante abalada com tudo o que ocorreu."