Um vídeo feito por um baloeiro mostra o exato momento em que o que era para ser uma comemoração quase virou uma tragédia.

Ele estava reunido com outros colegas e registrava exultante o momento em que o objeto subia ao céu e ganhava altura. “Olha o bichão aí, p... Chupa c...Planeta Arte na área aí. Mais um aí. Leve, leve, leve”, grita ele.

Mas, logo a empolgação dá lugar ao pânico. Alguns segundos e é possível ver e ouvir muitas explosões, que mais parecem fogos de artifício. Fagulhas e resquícios em chamas caem para todo o lado, descontroladamente.

O jovem que estava gravando sai correndo para se abrigar junto com os demais baloeiros.

Publicidade
Publicidade

Não se sabe o local em que a atividade ocorreu e nem se alguma pessoa ficou ferida ou queimada pelos estilhaços das explosões. Mas vale lembrar que esse tipo de situação é corriqueira, apesar da prática ser ilegal.

São inúmeros os prejuízos que a soltura de balões pode acarretar. Incêndios de grandes proporções ou mesmo acidentes com aeronaves tripuladas estão estre eles. Infelizmente, em junho e julho, durante as festas de São João, as ocorrências aumentam.

Os balões são altamente perigosos também para quem os manipula, já que são compostos por papéis, madeira, combustíveis, além de outros materiais tóxicos e altamente inflamáveis. Eles sobem por conta de uma espécie de “tocha” colocada no interior das estruturas. Em locais onde há florestas, matas, bem como áreas industriais e rotas de aeronaves, a preocupação é dobrada.

Publicidade

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) aponta que o Brasil teve um aumento de 27,5% em queimadas em 2015 (235 mil pontos de calor detectados por satélite). São Paulo está na 17ª posição da lista de incêndios registrados em áreas verdes, com 1.985 casos naquele ano. Os números poderiam ser menores se não houvesse a soltura e queda de balões.

Por tudo isso, quem solta balões pode ser preso por #Crime ambiental. De acordo com o artigo 42º da Lei 9.605/1998, a pena pode chegar a três anos de detenção, mais pagamento de multa.

Quem tiver informações sobre confecção e soltura de balões deve denunciar às autoridades, pelo 190 ou pelo disque denúncia 181.

#Acidente