O macabro #desafio da #Baleia Azul continua assustando os pais em todo o Brasil. A cada dia, jornais denunciam novas vítimas desse fenômeno do mal. Autoridades brasileira correm em busca de encontrar os culpados e por um fim nisso tudo. Mas presenciamos a cada dia o avanço desse jogo infernal. Os principais alvos desse jogo são jovens e crianças, que por algum motivo buscam no game uma saída para seus problemas.

Publicidade

Dessa vez a vítima é do Distrito Federal. Na última quarta-feira (19), a mãe de uma garota de apenas 15 anos de idade registrou um boletim de ocorrência na 35ª Delegacia de Polícia em Sobradinho II. De acordo com a mulher, a filha entrou para um grupo através do Facebook e começou a realizar uma série de 50 desafios a mando do moderador.

Publicidade

Mas, segundo ela, a filha começou a receber ameaças de morte após desistir do jogo.

Segundo o boletim de ocorrência, uma pessoa que ordenava a menina a fazer algumas tarefas a ameaçou: "Se você se arrepender, vai morrer de qualquer forma". Assustada, a mãe resolveu procurar a polícia.

Os pais da jovem relataram para a polícia que ela ainda chegou a fazer três tarefas dos 50 desafios imposta pelo o grupo. Então, após ter feito apenas três desafios, ela avisou que iria deixar a corrente e passou a receber ameaças.

O pai conta que a #adolescente não aparentava nenhum comportamento suspeito, e disse que só soube do envolvimento da filha através de uma amiga de classe, que resolveu avisar a direção da escola. "Fomos chamados pela a diretora e ela nos explicou tudo que estava ocorrendo. Então ela nos orientou a pedir ajuda para a polícia, e denunciar as ameaças", relata o pai..

Publicidade

Para eles, o mais assustador foi ver que os ameaçadores sabiam todos os detalhes da rotina de sua filha. Mas eles desconfiam que foi do próprio perfil da menina no Facebook que tiraram toda a informação.

A mãe disse para a polícia que a jovem não recebia mais ameaças depois que resolveu apagar todos os registros de conversas com pessoas ligadas ao jogo. O pai relatou que vai ter mais cuidado com sua filha. "As vezes, não damos a atenção necessária, pois ela tem irmãs, mas vamos conversar mais e colocar um pouco de controle no uso da internet", assegura o pai.

Depois de passar por essa experiência assustadora, ele disse que aprendeu a lição, e resolveu compartilhar para que outros pais possam saber como agir em uma situação relativa a essa.

Comente e compartilhe, é importante divulgar o máximo de informações sobre esse jogo.