A adolescente Amanda Batista Pereira, 17 anos, desapareceu nesta quarta-feira (12), após sair de sua casa na cidade de Goiânia. De acordo com a mãe, Geisibel Pereira da Silva, 34 anos, que trabalha como auxiliar de escritório, a menina deixou uma mensagem afirmando que estava sendo muito pressionada em sua escola. Logo foi levantada a suspeita que ela estava participando do desafio da "Baleia Azul', que está incentivando vários jovens a cometerem suicídio.

Geisibel relata que a última vez que viu a filha foi na quarta-feira pela manhã, quando ela foi para o trabalho por volta das 7h30h. Quando ela retornou no fim do dia, a jovem, que cursa o ensino médio, tinha saído e deixado um recado escrito, dizendo que não aguentava mais a pressão na escola.

Publicidade
Publicidade

A família abriu um Boletim de Ocorrências e anexou o bilhete deixado pela a garota. No texto ela dizia: "Mãe, não estou aguentando a pressão e fugi, não consigo ser o que a senhora quer. Nunca fui uma boa filha, fiz você chorar muitas vezes, será melhor a senhora não me procurar", desabafa Amanda.

Segundo a mãe, as câmeras de segurança da casa vizinha mostraram que a adolescente saiu de casa por volta das 17 horas e não voltou. "Não sabia de nada sobre ir embora ela não me falou. Ela disse que não estava suportando. Nós fomos à polícia e registramos a ocorrência para os policiais tentarem encontrá-la. Nem sei como estou falando", disse Dona Geisibel ao G1.

A preocupação de que a jovem poderia estar envolvida com o #desafio da #Baleia Azul surgiu quando ela resolveu fazer uma pesquisa nas redes sociais, onde a adolescente tinha criado um perfil falso para fazer parte de um grupo junto com outras #três garotas.

Publicidade

"Ela resolveu postar umas fotos nesse grupo junto com outras meninas que eu nunca vi, não conheço. Foi lá que vi uma foto que pode ser desse desafio da Baleia Azul, acho que criar esse perfil novo já faz parte do desafio", relatou a mãe muito aflita. O caso está sendo investigado pela a Delegacia de Proteção à Criança.

Adolescente encontrada

Segundo a mãe da menor, uma pessoa estranha a trouxe para casa. Ela informou que sua filha está bem, mas que ainda não tinha explicado o motivo dela ter fugido de casa. "Uma pessoa desconhecida veio aqui em casa e entregou minha filha. Ainda não consegui conversar com ela, mas não está machucada, ela apenas tomou banho e foi descansar", disse a senhora ao G1.

Um funcionário da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), por meio de telefone, relatou que nenhum familiar da garota havia comunicado que a menina foi achada. Dona Geisibel afirmou que assim que puder vai avisar a delegacia. A senhora informou que ainda não teve tempo de informar as autoridades sobre o aparecimento de sua filha, mas afirma que vai pedir para a polícia continuar as investigações e descobrir o que realmente aconteceu com sua menina.