Nesta terça-feira, 25, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu revogar o habeas corpus dado ao ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes. Atualmente no 'Boa Esporte', Bruno esteve em uma delegacia de Minas Gerais, onde apresentou-se antes mesmo que uma ordem de prisão fosse expedida. No entanto, como ainda não há um mandato pronto, Fernandes voltou para o hotel onde treinava com seu time. A informação foi confirmada pelo portal de notícias G1. O delegado da região, Roberto Alves Barbosa Júnior, confirmou que existe até a possibilidade que o atleta fique preso na delegacia, mas isso deve ser decidido apenas por um juiz, o que deve acontecer nesta quarta-feira, 26, segundo a previsão.

Publicidade
Publicidade

Lúcio Adolfo, advogado de Bruno, lembrou que ele não era um bandido e que em nenhum momento ele estava foragido da Justiça. Por isso, assim que soube da decisão do Supremo, ele foi até ao local. De acordo com uma reportagem do jornal 'Folha de São Paulo', o contrato de Bruno com o 'Boa Esporte' pode ser rompido. Isso porque ele prevê que, em caso de prisão, o clube se abstém, caso queira, de cumprir com seus honorários. O clube, assim que a decisão foi dada, como mostra uma reportagem da 'Folha', chegou a dizer que sequer sabia que a votação do caso seria feita. Bruno passou a fazer parte do 'Boa Esporte' há pouco mais de um mês, atuando em poucas partidas. Ele até estreou bem antes do que o previsto. No time, ele fez uma participação regular, tendo até seu trabalho elogiado, mesmo ficando muitos anos fora de atuação.

Publicidade

Mãe de Eliza fica feliz com prisão e polemiza

Bruno, ao deixar a delegacia, não quis falar com os jornalistas. Ele entrou no carro do clube ao qual ainda pertence e foi embora. Bem longe dali, quem comemorava a decisão do Supremo Tribunal Federal era a mãe de Eliza Samudio. Sônia Moura, que nos últimos tempos reclamou do que chama de 'injustiça', agora garante que sente um alívio muito grande em torno do caso. Ela, em entrevista ao UOL, lembrou do momento da saída do atleta da prisão. "Porque é muito revoltante ele solto e a forma como saiu, forma como se mostrou, dando risada", lembrou Sônia.

Histórico do crime

É bom dizer que Bruno estava preso desde 2010, acusado não só pelo assassinato, mas também pela ocultação do cadáver de sua ex-amante, Eliza Samudio. Ele foi condenado a mais de vinte anos de prisão, mas como já estava perto de completar um terço de sua pena e tinha feito uma apelação de recurso em seu julgamento, o ex-Ministro Marco Aurélio de Melo aceitou os apelos dos advogados do jogador. #Goleiro Bruno #Crime