Um novo jogo vem se destacando na mídia devido a uma grande polêmica envolvendo a morte de alguns participantes. O caso mais recente foi registrado na cidade do interior de Minas Gerais, Pará de Minas, localizada no centro-oeste do estado. Ao se submeter aos desafios do 'Baleia Azul', como é conhecido o jogo, um jovem de 19 anos acabou se matando ao ser, de acordo com parentes, ameaçado por outros participantes.

Publicidade

A matéria serve de alerta para os pais no sentido de se precaverem com a periculosidade do tal 'Desafio da #Baleia Azul'. O jovem que se matou na última quarta-feira, 12 de abril, participava de grupos no Facebook e WhatsApp.

Publicidade

Era por meio das #Redes Sociais que ele recebia as tarefas a serem cumpridas e ao tentar desistir, passou a ser ameaçado por administradores dos grupos.

Sentindo-se pressionado, o rapaz se viu obrigado a praticar o suicídio como alternativa para se livrar das ameaças. Em entrevista, parentes da vítima relataram que um outro garoto também jogava o 'Desafio da Baleia Azul', mas assustado, resolveu sair dos grupos nas redes sociais e afirmou que vai trocar o número do celular como precaução.

O rapaz da pequena cidade do interior de Minas era casado e deixou uma filha de apenas 40 dias. Segundo familiares, o jovem já havia tentado sair do jogo por, pelo menos, quatro vezes, mas em todas as tentativas ele era adicionado novamente.

A mãe do jovem lamenta por não ter quebrado o chip do aparelho celular do jovem.

Familiares relataram que a vítima havia dito dias antes que o 'desafio era viciante', mas logo percebeu sua preocupação em deixar o jogo de lado. A família acredita que ele estaria sendo ameaçado, caso deixasse de participar do temido jogo.

Publicidade

Pessoas próximas ao rapaz relataram que ele temia pela vida de algum parente já que as ameaças revelavam saber de seu endereço.

Outro parente do jovem se interessou pelo jogo por um período e também chegou a participar dos grupos online com o interesse de cumprir os desafios, porém, ao saber o teor das tarefas exigidas ali, optou por sair do grupo. Segundo o jovem, que desistiu de acompanhar os grupos, os desafios solicitados pediam para cortar o braço e 'fazer baleia de gilete', entre outros. Sem entender e com medo, ele não deu continuidade aos desafios que levaram à morte do parente.

Moradores da cidade estão em alerta e acompanham o desenrolar do caso na Justiça. A investigação deve ser concluída no prazo de 30 dias. #Jogos