Nos últimos tempos, um jogo chamado 'Baleia Azul' tomou conta da internet. O jogo do suicídio fez com que a prefeitura de uma cidade brasileira tomasse uma decisão forte. O município de Curitiba, no Paraná, como mostra uma reportagem da Revista Veja, publicada nesta quarta-feira, 19, emitiu um comunicado em que pede precauções contra o jogo em todo o país. De acordo com o governo local, pelo menos cinco adolescentes tentaram se suicidar nos últimos dias. Os casos teriam ligação com o jogo macabro. Todas as tentativas envolviam adolescentes, dentre 13 e 17 anos de idade.

Eles foram levados para o chamado Caps, Centro de Atenção Psicossocial.

Publicidade
Publicidade

É bom lembrar que no Brasil um órgão - em qualquer parte do país - pode ajudar as pessoas com pensamentos suicidas e suas famílias. O Centro de Valorização da Vida (CVV) atende, diariamente, pessoas com esses pensamentos. O número para atendimento é gratuito, o 141.

De acordo com a prefeitura de Curitiba, como mostra a reportagem do site da Revista Veja, todos os casos atendidos pela força municipal de saúde envolviam características do '#Baleia Azul', como a mutilação do corpo. No jogo, existem muitos desafios, que são feitos durante 50 dias. Um dos últimos é desenhar uma baleia no corpo com um objeto cortante. Já o último é se matar. Como o jogo é longo, as pessoas, muitas vezes, acabam chegando a cumprir o último ato. Os jovens que procuram a brincadeira, no geral, são sozinhos ou estão muito tristes.

Publicidade

Eles acreditam que participar do desafio pode, de algum maneira, trazer uma felicidade, nem que seja momentânea.

O alerta da prefeitura foi lançado depois que uma adolescente de apenas 16 anos foi encontrada morta em outro estado. Aos 16 anos, Maria de Fátima teria se afogado em uma represa. Em seu celular, havia vestígios do jogo do suicídio. A adolescente tinha cortes na coxa e braços e deixou cartas que indicariam a participação dela no desafio. Agora a morte dela está sob investigação. A prefeitura de Curitiba também diz que os casos por lá vão ser investigados e que já chamou pela ajuda da Polícia Federal.

Além do alerta às famílias, os órgãos paranaenses já estudam novas maneiras de tentar controlar tudo isso que está ocorrendo no Brasil. E você, como acha que situações como essa podem ser controladas? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo de temas relevantes para a sociedade.