A Ancine (Agência de Fomento às Produções Cinematográficas) concedeu permissão para que fosse captado quase R$ 800 mil para a filmagem do documentário Galeria F, que homenageia a história de Theodomiro Romeiro dos Santos, terrorista e ex-guerrilheiro do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário no período do regime militar.

O filme estreou na última sexta-feira (31). O processo de número 01580.043795/2014-33, disponível no site da Ancine, apresenta toda a descrição do filme e a verba arrecadada.

A história de Theodomiro Romeiro dos Santos

Durante os anos 1970, alguns terroristas assaltaram um banco na Bahia. O objetivo era arrecadar dinheiro para sequestrar um diplomata americano.

Publicidade
Publicidade

Todavia, quando Theodomiro foi receber o dinheiro de seu grupo para viabilizar o crime, policiais militares o flagraram e o prenderam, colocando-o no banco de trás da viatura.

Ele, aproveitando-se da imprudência dos policiais ao revistá-lo, retirou uma arma de sua pasta e, no momento em que os policiais deixaram a viatura para prender um comparsa, sacou sua arma e alvejou os policiais pelas costas. O sargento Walter Xavier de Lima morreu na hora com um tiro na cabeça e o outro agente foi gravemente ferido, mas sobreviveu.

No tribunal, o comunista chegou a ser condenado a pena de morte, pois havia assassinado um militar (punição prevista na Lei de Segurança Nacional vigente à época que havia diversos atentados), mas a pena foi reduzida para prisão perpétua pelas instâncias superiores da Justiça Militar.

Publicidade

Porém, com um segundo recurso, a punição foi reduzida para 30 anos de prisão e, ainda, com mais um terceiro, passou para 17 anos.

Mesmo assim, o terrorista se recusou a cumprir o tempo de prisão, fugindo da cadeia em 1979, depois indo até Paris. No entanto, retornou ao #Brasil após 1985, sendo anistiado. Theodomiro ainda se formou em direito e virou juiz da Justiça do Trabalho.

Além de todos os benefícios recebidos, Theodomiro foi presenteado com uma decisão da Comissão da Anistia em 2011. A decisão lhe concedeu o direito de utilizar o período que estava preso, mais o tempo que estivera em Paris, como tempo de contribuição para Previdência. Deste modo, o comunista, hoje, vive aposentado com todos os benefícios de carreira. Enfim, mais um fato da trágica política nacional. #TheodomiroRomeirodosSantos #GaleriaF