Atualmente, um jogo está dando muita dor de cabeça em pais de todo o Brasil. O 'Baleia Azul' permite que adolescentes de todos os tipos coloquem suas vidas em perigo. O jogo começou a virar uma febre nas últimas semanas e tem causado problemas em todo o planeta. Na Rússia, por exemplo, ele teria feito pelo menos 100 mortes. No Brasil, os casos são investigados, mas notícias de possíveis vítimas não param de aumentar. Nesta semana, por exemplo, uma menina deu uma entrevista para o jornal carioca 'Extra', na qual forneceu detalhes sobre como funciona o jogo. A garota é uma das sobreviventes e é chamada pela publicação do Rio de Janeiro como 'Mariana'.

Publicidade
Publicidade

Esse é apenas um nome fictício para facilitar o entendimento da reportagem.

A menina dá detalhes de como sobreviveu ao jogo e conta toda sua verdade. A garota, aos 15 anos, apenas não faleceu, pois sua mãe acabou agindo com forte intervenção. O tempo, é claro, aliado ao amor, acabou salvando a vida da jovem. A garota contou, em um vídeo disponibilizado pelo Extra, que sua vida mudou completamente após começar a jogar o 'Baleia Azul'. Mariana explica que estava se sentindo "vazia" e que, por isso, começou a efetuar a brincadeira. A tristeza da menina jamais foi embora. Ela é de uma família evangélica, mas nem mesmo o contato com a igreja e com Deus a livrou das garras das "brincadeiras" suicidas.

Mariana mora em uma comunidade da Zona Oeste do Rio de Janeiro e mesmo amada não se sentia assim.

Publicidade

A menina acreditava que ninguém seria capaz de entender o que aconteceu com ela. Não demorou muito para que a jovem deixasse de ter o convívio com outras pessoas. Mariana foi se fechando em seu mundo, até que surgiu o 'Baleia Azul', uma possibilidade de ela conviver com o que achava serem jovens saudáveis, mas infelizmente não foi bem isso o que ocorreu.

Pelo contrário, a menor de idade acabou se fechando mais. Hoje ela dá um recado para outros jovens. Segundo a adolescente, o melhor é se comunicar com a família, falar sobre o problema e não se fechar em um mundinho apenas seu. Ela garante que o 'Baleia Azul' não a ajudou em nada e que, pelo contrário, apenas ficou mais triste. Sua mãe conseguiu a salvar a tempo, mas nem todos acabam tendo a sorte que ela teve.

E você, o que pensa que ocorreu com essa menina. É possível evitar tal prática? Deixe o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós e ajuda no diálogo de temas relevantes para a sociedade. #Crime