A DRCI (Delegacia de Repressão aos Crimes de Informtática) do Rio de Janeiro tem recebido muitas denúncias de um jogo bizarro russo que agora invade o Brasil. O Baleia Azul já começa a invadir as redes sociais e WhatsApp de várias crianças e jovens no país e requer atenção e muito cuidado dos pais e responsáveis.

Publicidade

O 'jogo', que é composto por 50 #tarefas, foi registrado pela primeira vez na Rússia, e mais de cem jovens já completaram todas as tarefas, ou seja, tiraram suas próprias vidas.

Publicidade

Esses números do Baleia Azul podem ser muito maiores ao longo do mundo.

E a DRCI/RJ investiga agora o aliciamento de pelo menos quatro crianças e adolescentes (três meninas e um menino) para o jogo Baleia Azul. A polícia já confirmou que duas crianças já tinham entrado para o jogo e outras duas ainda são investigadas. Entretanto, o trabalho mais importante da delegacia especializada é identificar os aliciadores dos menores. Segundo a delegada assistente da DCRI, Fernanda Fernandes, o aliciamento começa por redes sociais e aplicativos de mensagem. E depois que entram no jogo, não podem mais sair, sob ameça de morte do jogador e da família.

As principais vítimas dos aliciadores são crianças e jovens que já apresentaram sintomas de depressão. Essas pessoas se mostram mais suscetíveis a situações que envolvam suicídio, autolesão e automutilação. A delegada informa que a polícia deve contar com grande ajuda dos pais para identificar os sinais nos filhos. Assim que identificado algum sinal, seja marcas no corpo, no comportamento ou até em mensagens no celular e computador, deve-se denunciar para que a polícia possa proteger a integridade física e segurança das vítimas.

Publicidade

Qualquer comportamento estranho requer atenção e cuidador.

Os crimes dos aliciadores podem ser tipificados como tentativa de homicídio, lesão corporal e associação criminosa.

O jornal EXTRA conseguiu entrevistar uma das vítimas, de 15 anos. A menina afirma que só está viva porque a mãe identificou o comportamento estranho e conseguiu impedir o fim trágico. A menina faz um apelo aos jovens que não entrem no jogo. O vazio que podem estar sentindo antes de entrar no jogo só piora e o final poderá ser trágico. Ainda recomenda que os jovens façam algo que goste para passar o tempo e o tédio, como ouvir uma música que goste, ou outra atividade para preencher o tempo.

A mãe da vitima percebeu quando ela estava na 15ª tarefa. Ela chegou a ser internada e dias depois tentou se matar. Entretanto, ao ver a preocupação e a situação da mãe, resolveu recuar. Ela ainda conta que às vezes ainda tem vontade de desistir de tudo, mas tenta mudar o seu pensamento. Ela tem sonho em ser fotógrafa, outra motivação que a jovem usa para se manter viva. #Bale #Crime