Mais um vídeo circula na internet com cenas intragáveis de violência explícita de marginais contra uma mulher. Na verdade, uma jovem, que não deve ser muito mais do que 18, 19 anos de idade.

Dois homens aparecem usando um pedaço de pau para acertar na moça, que já está com o cabelo cortado. Eles ordenam que ela sente no chão. Ela, assustada, obedece. Um dos marginais filma cada sequência. O outro pega o porte para bater nela. Mas ele parece fraquejar e desfere um golpe fraco, errando o alvo, talvez premeditadamente.

O rapaz que filma critica. “bate direito”. Como vê que a correção não está a contento, ele grita “Deixa que eu vou”.

Publicidade
Publicidade

E passa o telefone celular para o parceiro continuar gravando o espancamento.

Desesperada a jovem implora que pare. Ele, pelo contrário, coloca mais força. Acerta pauladas nas costas, nas coxas, que já estão roxas, nas pernas, que já estão sangrando. Desfere também alguns chutes.

“Tá bom já, eu não estou conseguindo respirar, chega”, pede ela.

Ele pergunta se ela vai aprender a lição e se vai bobear de novo com eles. Ela jura que não vai mais sair da linha, mas continua apanhando bastante.

Nos posts que estão circulando nas redes sociais, as cenas de quase dois minutos são acompanhadas de fotos da moça em situação normal e também abraçada ao homem que no vídeo a espancou. As postagens dão a entender que ela se envolveu com traficantes e depois fez algo que os irritou.

Não é possível confirmar essas informações.

Publicidade

O que é possível concluir é que cada vez mais as redes sociais estão sendo usadas por criminosos, sejam eles traficantes ou simplesmente um cidadão comum, para mostrar a forma covarde como tratam as mulheres que por algum momento os decepcionam.

Ao contrário de prova de macheza, os vídeos comprovam que tratam-se de desequilibrados e covardes.

Muitos internautas encheram os posts de comentários que especulam que ela teve o que mereceu. Homens e mulheres simulam uma falsa indignação pelas cenas violentas contra uma mulher, mas se colocam como juízes da moralidade escrevendo que se ela estava misturada a homens desse tipo é porque boa coisa ela não era.

“É triste, mas se ela estivesse debruçada em livros e cadernos esse tipo de coisa não teria acontecido”, diz uma internauta.

“Em mulher não se bate nem com flor, mas ela se envolveu com quem não presta e não deveria ter colocado chifres. Agora colhe as consequências”, escreveu outra internauta.

#Crise #Casos de polícia