Policiais do 93° DP de Volta Redonda, Rio de Janeiro, tiveram uma grande surpresa ao investigarem o tráfico de drogas no município de Volta Redonda. Os policiais descobriram uma casa, usada por uma quadrilha, que estava equipada com várias câmeras de vigilância e transmitiam diretamente para o presídio de #Bangu tudo que acontecia dentro do local.

Publicidade

O delegado Rodolfo Atala, responsável pela Operação Toronto II, comentou que os próprios bandidos informaram que as imagens da casa eram transmitidas ao vivo para o chefe do grupo, Bruno Maxuel da Silva. Bruno conseguia ver tudo o que acontecia na casa através das câmeras e além de dar palpites, comandava todo o esquema de dentro da cadeia. "Era como se fosse um BBB do mal", ressaltou o delegado.

Publicidade

Bruno está preso por latrocínio.

A casa era usada pela quadrilha como boca de fumo, manipulação de drogas e dinheiro do tráfico. Tudo era checado pelo chefe do bando através de um celular.

Prisão

Policiais prenderam treze suspeitos no local. Também fizeram parte da operação 18 mandados de #Prisão, de outros endereços e 30 de busca e apreensão. A polícia apreendeu vários pinos de cocaína, tabletes de outras drogas, trouxinhas de maconha, revólveres, balanças, escopetas e munições.

As investigações da polícia começaram após a morte de Felipe Rodrigues, no ano passado. Na época, morreram 20 jovens em frente a uma escola, na Vila Santa Cecília.

Um outro ponto observado pelos policiais, é a tatuagem de um deles que tinha as letras DM, na cabeça.

Publicidade

Segundo os policias, DM seriam as iniciais de Diego Marcelo Rodolfo, 29, que morreu domingo (08). Ele seria um dos inimigos da quadrilha.

Páscoa de Cabral

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, mesmo não tendo nada a ver com esse "BBB do mal", passará a páscoa bem próximo desses bandidos presos pela polícia. O presídio de Benfica para onde o ex-governador será transferido ainda não está pronto.

Nesse presídio reformado, irão os presos da Lava Jato que tem formação superior e os outros, que não possuem esse ensino, vão continuar nesse presídio de Bangu, como é o caso do empresário Eike Batista.

Essa cadeia para onde vai Cabral está desativada, desde 2015. Passou por algumas reformas e as obras vão custar R$ 20 mil. O Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual fizeram todos os acordos sobre a transferência no dia 15 de fevereiro.

O que se sabe, por enquanto, é que a páscoa do ex-governador vai ser em Bangu 8 mesmo. #Traficantes