Um caso que aconteceu na última segunda-feira (10) surpreendeu. Um adolescente foi capturado e com ele foram encontradas #drogas, facas e barras de ferro. Mas não foi um caso comum, o rapaz conseguiu esconder seus objetos dentro de uma Bíblia.

Em uma vistoria de rotina, os agentes da Unei (Unidade Educacional de Internação) da cidade de Dom Bosco, em Campo Grande, MS, desconfiaram da reação do garoto e resolveram fazer uma revista detalhada em seus pertences, e o fato da Bíblia estar muito pesada chamou a atenção dos agentes. Quando abriram o livro, encontraram pequenas facas e drogas. O adolescente havia cortado as páginas abrindo um buraco para esconder os itens dentro do livro.

Publicidade
Publicidade

A SEJUSP (Superintendência de Assistência Socioeducativa da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) não divulgou maiores detalhes sobre o caso e também não informou as medidas que serão tomadas com adolescentes infratores.

Em 2016, o Ministério da Justiça e Cidadania apresentou um relatório divulgando a situação atual dos adolescentes e os dados foram preocupantes, pois eles estavam sofrendo torturas e maus tratos por parte dos agentes. Logo após as denúncias serem divulgadas, o Ministério Público Estadual iniciou um processo de investigação.

No início desse ano foi divulgada uma nota oficial sobre as investigações e o resultado foi o afastamento por prazo indeterminado do diretor da Unei de Dom Bosco e de um agente de segurança da mesma unidade.

A Unei de Dom Bosco não é a única que passa por esses problemas com os jovens internados.

Publicidade

Recentemente, um juiz da Vara da Infância e Juventude de Dourados afirmou que essas unidades são depósito de menores. Segundo ele, os adolescentes não são tratados como seres humanos e as Uneis não oferecem condições de atendimento adequado para os jovens.

A Justiça brasileira está estudando outras formas para melhorar as condições e atendimento das Uneis. O primeiro passo já foi tomado, pois hoje existe um grupo que irá monitorar as unidades durante noventa dias para ajudar no processo de melhorias. As unidades monitoradas serão todas do Mato Grosso do Sul: Campo Grande, Ponta Porã, Corumbá, Três Lagoas e Dourados.

O monitoramento será rigoroso e irá fiscalizar se os direitos dos jovens estão sendo executados de acordo com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e SINASE (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo). #Jovem