O que pode levar um homem a se tornar um monstro sem dó nem piedade? Uma discussão banal por causa da organização da festa de aniversário de um ano de uma linda menina, acabou em tragédia. Saiba mais aqui.

De acordo com o portal de notícias online G1, um homem matou a filha de maneira covarde e macabra na véspera da sua festa seu aniversário de um ano, na sexta-feira (7). O #Crime chocou a cidade de Goianésia que fica localizado na região central de Goiás.

Um monstro

Somente um monstro poderia cometer um crime tão bárbaro e por causa de uma motivação torpe, segundo as investigações da Polícia Civil, Marcelo Rodrigues Carvalho, de 26 anos, confessou que atirou contra a cabeça de sua filha Emilly Beatriz Rodrigues de Jesus.

Publicidade
Publicidade

Ainda segundo o delegado regional responsável pelo caso, Marco Antônio Maia, o homem acionou a polícia afirmando que ele e a pequena Emilly haviam sido sequestrados e deixados em meio a um canavial. A polícia chegou até o local e encontrou a menina no colo do pai ainda com vida. Ela foi encaminhada para o hospital mas infelizmente veio a óbito.

De acordo com Marco Antônio eles começaram a trabalhar com a hipótese do sequestro, o pai da menina foi chamado até a delegacia para dar mais detalhes que pudesse levar a polícia até os possíveis sequestradores. Contudo durante o depoimento ele caiu em contradição e acabou confessando o crime.

Em seu depoimento ele disse que depois de brigar com a esposa por causa da organização da festinha de aniversário da filha que completou 1 ano na quarta-feira (5) e a comemoração aconteceria no sábado (8) , ele surtou e acabou matando a filha.

Publicidade

Marcelo alegou que ouviu vozes pedindo para ele matar a filha e cometer suicídio depois, porém ele perdeu a coragem de se matar.

Marcelo foi preso no sábado, no dia que a festa de aniversário aconteceria, o delegado disse que acredita que o homem tenha algum problema psicológico sério e que a discussão desencadeou a ira desse pai, a polícia acredita que ele tenha tido um surto psicótico. Marcelo detalhou como matou a pequena Emilly, ele revelou que depois de ter atirado na menina ele se arrependeu e voltou até o local onde a pequena ainda estava se mexendo. Ele se desesperou e entrou em contato com a esposa, pedindo que ela acionasse a polícia e os bombeiros.

A arma utilizada no crime ainda não foi encontrada, a polícia também vai pedir uma avaliação psicológica para saber se ele tem algum distúrbio. Ele seguirá preso até seu julgamento. #Investigação Criminal #Casos de polícia