Imagens chocantes mostram o momento em que uma mulher é agredida com arma branca no Piauí.

O caso aconteceu na capital do estado, Teresina, no bairro Cabral, que fica na Zona Norte. O homem apontado como sendo o que aparece nas imagens foi identificado e preso por agentes da Delegacia de Homicídios de Teresina, na última quinta-feira (30).

A vítima que recebe as facadas é Josimeire Rodrigues da Silva. Ela tinha 34 anos e não resistiu aos graves ferimentos, morrendo no local.

O homicídio ocorreu 20 dias antes da prisão do acusado, em 10 de março desse ano. Câmeras de monitoramento instaladas próximas a um motel na Rua Pirassununga, Zona Sudeste, foram cruciais para identificar o suspeito.

Publicidade
Publicidade

Primeiramente as imagens mostram uma discussão entre os dois. O homem segura uma faca e tem um semblante muito sério. Quando percebe que ele vai mesmo cometer o #Crime, a mulher tenta se proteger e impedir que ele a acerte.

Ela chega a segurar a arma. Mais forte, ele dá um empurrão. Caída no chão ela não consegue evitar o pior. Ele desfere os golpes e sai de perto. A moça fica no chão, em meio a uma poça de sangue. Ainda consciente ela tenta reagir e levantar. O vídeo termina nesse momento.

Segundo o delegado que está atuando no caso, Francisco Costa, o suspeito foi levado para a delegacia em confessou o crime de forma espontânea, logo depois de ver as imagens. Ele relatou que esfaqueou a moça após ter uma discussão com ela por causa de drogas.

De acordo com Costa, as imagens são nítidas e o suspeito, um homem bastante frio, não teve como negar o crime.

Publicidade

Em vistoria na casa do sujeito, os policiais procuraram e acharam as roupas usadas por ele no dia do crime. As peças foram apreendidas para integrar o processo. A residência onde ocorreu a busca e apreensão fica em Sumaré, zona rural do município de Nazária.

Já a faca usada pelo acusado foi encontrada na sequência na residência do irmão dele, no bairro Parque Ideal, Zona Sudeste de Teresina.

“Fizemos um trabalho intenso de investigação e conseguimos esclarecer o caso em 20 dias”.

#Investigação Criminal