Um vídeo gravado em uma favela do Rio de Janeiro está circulando na internet e choca os internautas por vários motivos: o poderio de fogo exibido pelos “artistas” e a letra da música que eles cantam.

O funk, intitulado “Pesado de Ouro”, é de autoria de MC Lon. O próprio autor aparece dançando carregando várias armas de grosso calibre. No pescoço muitas correntes que parecem ser de ouro. Nas mãos, anéis e muitas pulseiras feitas com o mesmo material dourado.

O cantor é acompanhado por outros dois homens também armados. Um usa uma camisa para tampar o rosto. O outro está produzido com boné e óculos escuros.

Eles reproduzem no cenário e exaltam na letra que cantam o funcionamento do #Crime organizado que toma conta dos morros e favelas de todo o Brasil.

Publicidade
Publicidade

“Pesado de ouro vou para o baile funk, diamante tirado da lama do mangue”, começa a música que segue citando as armas inseparáveis de todo soldado do crime: “tem Glock, trateck, rajada rosnante em cima dos lobisomem”.

Lobisomem, na linguagem do crime quer dizer policiais.

A letra tem trechos explícitos de apologia ao tráfico. “Bonde interessante, avisa lá que tá no toque, R7 no volante”, descreve, detalhando cada setor do movimento: “O vapor tá acionado no começo da quebrada. Fogueiteiro tá alerta, louco de bala, louco de lança”.

No clipe oficial e já editado, é possível ver inclusive como age o fogueteiro, que solta fogos quando percebe a aproximação da polícia.

A letra ainda retrata o baile Mandela, famoso no Rio de Janeiro. O funkeiro diz que “o Mandela tá estralando, na caieira o chicote estrala”.

Publicidade

As cenas e a letra ofendem os internautas, que nos comentários dos posts onde o vídeo circula, não poupam críticas à ousadia do funkeiro.

Muitos defendem que quem canta esse tipo de conteúdo é financiado pelos próprios traficantes. Uma internauta defendeu o artista, dizendo que isso é apenas uma interpretação para um clipe de uma música. Ela alega que ele não mexe com drogas e que apenas canta a realidade.

Não é possível ter a confirmação se as armas empunhadas pelos participantes do crime são réplicas ou de verdade. O clipe é muito realista e talvez por isso faça sucesso até mesmo entre o público que não mora nas quebradas, entrando inclusive nas playlists de classes de maior poder aquisitivo.

O funkeiro MC Lon é citado inclusive numa das letras do cantor Criolo. Em “Cartão de Visita”, Criolo faz uma referência ao funkeiro, que seria uma das personalidades em uma festa de classe alta. Na música Lon está portando entrada VIP.

#Investigação Criminal