Uma criança foi internada por causa de infestação de larvas em sua cabeça. O caso aconteceu na Zona Norte do #Recife, capital de Pernambuco. A #criança, uma menina de apenas 5 anos, está internada no Hospital Maria Lucinda. O caso já foi levado para o Conselho Tutelar, que suspeita que a criança tenha sofrido maus-tratos.

Anderson Araújo, conselheiro tutelar que está responsável pelo caso, explicou que já faz um tempo que a criança vem sofrendo de uma proliferação de piolhos. Assim, por causa da coceira motivada por piolhos, surgiu pequenas feridas em sua cabeça, lugar propício para as moscas colocarem seus ovos.

O Conselho Tutelar informou que, na quinta-feira (6), foi acionado pela própria administração do hospital e, ao chegar, ficou assustado com o nível da situação.

Publicidade
Publicidade

O conselheiro disse que a avó materna da menina foi quem percebeu o problema e a levou para o hospital.

O conselheiro explica, ainda, que a surpresa também foi que geralmente casos como esse vem de famílias de extrema pobreza, e não foi o caso desta vez. Araújo disse que a casa da família, onde a menina mora com seus pais, era humilde, mas limpa e organizada. Não teria justificativas para tal negligência, tendo em vista que para a cabeça da criança chegar naquela situação são necessários vários meses.

A criança mora com o seu pai e com sua mãe, além de dois irmãos mais novos, um de 2 e outro de 3 anos. A família é moradora de Águas Compridas, Olinda, Grande Recife. Quando foram perguntados sobre a infestação de larvas na cabeça de sua filha, os pais responderam que “ela é uma menina muito independente.

Publicidade

Ela toma banho, se arruma, se penteia e come sozinha. Não gostava que colocasse a mão na cabeça dela. Pode ser o motivo de isso ter passado despercebido”.

Mesmo assim, a explicação não foi suficiente para o Conselho Tutelar. Eles sustentam a tese de que a menina sofre maus-tratos. Na última sexta-feira (7), eles deram entrada em um processo na Delegacia de Peixinhos. Além de prestarem queixa, ainda foi encaminhado um relatório ao Ministério Público de Pernambuco que pede a retirada da guarda da família.

O processo foi encaminhado para ser investigado pela Delegacia de Polícia de Crimes Contra a Criança e o Adolescente de Paulista. A assessoria de impressa do Hospital Maria Lucinda informou que a menina já foi tratada e medicada, e que não corre risco de morte, mas continua em observação. Por se tratar de um caso que está em processo, o hospital evitou dar mais detalhes. #maus tratos