Essa semana, internautas interessados em desvendar a história do jovem acreano que deixou uma suposta obra codificada para a família, começaram a criar teorias. O universitário Bruno Borges, de 24 anos, está sumido desde o último dia 27 de março, quando foi deixado pelo pai na esquina de casa. Ele estuda filosofia, e além de desaparecer, colocou a família aflita ao montar uma obra um tanto quanto inusitada em seu quarto. Ao se dar conta de que o filho não voltava para casa, o pai entrou no cômodo do filho e encontrou uma cena estranha.

No centro do quarto uma estátua do filósofo italiano do século XVII Giordano Bruno, que foi queimado pela inquisição romana.

Publicidade
Publicidade

O jovem retirou todos os pertences do local inclusive a cama, o guarda-roupa e outros objetos pessoais. No lugar dos móveis, além do monumento, ele escreveu meticulosamente, e de forma bastante organizada por todas as paredes e no chão do lugar. O estudante também deixou quatorze livros em que expõe sua ‘teoria’ para a família.

Em tese ele estaria querendo continuar a obra de Giordano Bruno, e teria elaborado um pensamento riquíssimo. No entanto, a família está bastante assustada com a situação e com o sumiço do jovem, e agora tenta entender o teor do que está escrito no local. Acontece que para conseguir ler os cadernos e as paredes, é preciso ter acesso a um código, uma vez que nada está escrito em português e sim de maneira criptografada. Uma chave comparativa com as letras do alfabeto e os símbolos usados foi deixada por ele, para que as pessoas pudessem entender seu pensamento.

Publicidade

Diante de uma história tão surpreendente os internautas não perdoaram, e começaram a elaborar uma infinidade de teorias, nas quais tentam elucidar o mistério do sumiço do estudante. A última ideia amplamente divulgada nas redes sociais é de que o rapaz tenha usado o gibi “Manual do Escoteiro Mirim” para poder criar seu código de criptografia. A história em quadrinhos pertence a uma das narrativas do personagem Pato Donald da Disney com a participação de seus sobrinhos e também personagens da revista, Huguinho, Zezinho e Luisinho.

O caso acabou virando brincadeira na internet, muitas pessoas disseram que o fato de ele ter usado uma revista em quadrinhos para criar sua própria linguagem só aumenta a sabedoria do mesmo. O assunto viralizou no Twitter e contou com milhares de comentários, ora parabenizando, ora achando engraçado, ora criticando o jovem que permanece desaparecido. A Polícia Civil do Acre continua com uma investigação sigilosa para apurar o sumiço do rapaz. Os investigadores acreditam se tratar de um isolamento voluntário e que em breve o jovem deve voltar para casa.

#Crime #Casos de polícia