Uma mulher de 22 anos recebeu diversas ofensas verbais e também foi atacada nas dependências de uma casa de festas, chamada Rancho do Serjão na madruga do último domingo (16), na cidade de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, no Estado de São Paulo.

A estudante Bárbara Braga disse que foi atingida por socos, pontapés e diversas cotoveladas logo depois que revidou uma pessoa que lhe atacou com ofensas verbais, lhe chamando “gorda nojenta” e vários outros insultos. Segundo informações da vítima, o homem que lhe agrediu tanto com ofensas verbais quanto com agressões físicas foi colocado para fora das dependências por seguranças da casa noturna.

Publicidade
Publicidade

Ela disse vai ao local com muita frequência. Os seguranças da boate não conseguiram identificar o homem responsável pelas agressões contra a estudante.

Ela ainda falou que, logo depois de ser atacada, foi levada imediatamente à enfermaria da casa noturna para receber os primeiros socorros. Bárbara disse está muito decepcionada da maneira que os seguranças do Rancho do Serjão por conduzirem o agressor para fora, mas não o identificarem.

Bárbara disse a um portal de notícias que a polícia só foi chamada graças a outras pessoas que estavam no local. Depois que foi atendida na enfermaria, Bárbara Braga seguiu para o hospital mais próximo. Logo depois, foi até uma delegacia para prestar queixa de lesão corporal.

O caso foi encaminhado para o 2º Distrito Policial de São Bernardo do Campo. Ainda segundo Bárbara, nem um animal pode ser tratado como ela foi tratada no Rancho do Serjão.

Publicidade

O desabafo da estudante foi feito em uma rede social da casa noturna. Vários amigos e pessoas que costuma frequentar a casa de shows foram solidários com Bárbara e pediram explicações aos proprietários do local.

O Rancho do Serjão, em uma nota oficial, informou que lamenta profundamente o que aconteceu com a estudante e não é a favor de qualquer tipo de agressão, seja ela verbal, física ou qual for a motivação. Os responsáveis pela casa ainda enfatizaram que foram eles que entraram em contato com a polícia e orientaram para que Bárbara procurasse uma delegacia e prestasse queixa das agressões. #SaoPaulo #Violência #Mulher