Nessa semana, o G1, o portal de notícias da Globo, publicou uma reportagem sobre o aumento dos moradores de rua em uma cidade do Norte de Tocantins, Araguaína. Um caso em especial chamou a nossa atenção, a de um ex-pastor, que teve tudo e que hoje, assim como outros mendigos, pede esmolas na rua. Segundo um levantamento feito pelo Sistema Único de Assistência Social do município, são cerca de 100 homens e mulheres que não tem dinheiro para pagar uma moradia. O ex pastor evangélico foi identificado como Fernando Ribeiro. Ele contou ao site global que está há um ano perambulando pelas calçadas do município, que é considerado o mais populoso do estado.

Publicidade
Publicidade

O morador de rua que um dia foi famoso por pregar e também pelas músicas (sim, ele era cantor) diz que agora o seu maior sonho é se reerguer.

Fernando que pregava para multidões, hoje tenta a atenção de transeuntes da avenida Filadélfia. O homem já está no local há mais de um ano. A vida do homem começou a mudar após um conflito amoroso. Ele se divorciou de sua esposa e entrou em depressão. Antes, ele clamava o nome de Deus a fim de que esse livrasse os viciados, mas hoje ele faz o mesmo, mas para ele. Fernando clama para que o todo poderoso possa o ajudar nessa empreitada. O ex-pastor diz que ele teve a infelicidade conhecer o crack, uma droga poderosa e que pode até matar. A droga leva verdadeiras multidões para o meio de cidades como o Rio de Janeiro e São Paulo.

O ex-religioso diz que perdeu tudo, emprego, empresa, a sua residência e que agora está sem nada.

Publicidade

Além das pregações, ele vivia do dinheiro das apresentações musicais que fazia nas igrejas. Ele diz que a única coisa que sobrou em sua vida foi o desejo de vencer. Atualmente, ele não recebe muita atenção de quem passa. Completamente encardido e fedido, Fernando hoje é, no geral, apenas amigo de outros moradores de rua. Ele lembra do tempo que tinha posses e também muita atenção. Não sobraram nem mesmo os amigos da igreja. “São poucos os amigos que param para conversar. E antes eu tinha muitos amigos. Mas muito mesmo", disse ele à reportagem.

Com um violão, o seu único bem que sobrou, o ex-pastor louva a vida e a força de vontade que tem para mudar. Ele clama por ajuda, mesmo que os irmãos que um dia ajudou estejam tão afastados. Decidimos compartilhar essa história para tentar ir atrás de boas pessoas que, quem sabe, possam dar uma oportunidade de trabalho para o homem, ou quem sabe, um tratamento médico. #É Manchete!