O #Goleiro Bruno, que foi recentemente libertado, depois de ter estado mais seis anos preso por alegadamente ter assassinado a sua ex-amante, está sofrendo um verdadeiro pesadelo no seu retorno aos gramados nacionais. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, na passada quarta-feira, dia 12 de abril, o goleiro do Boa Esporte, foi atingido por uma barra de ferro durante o jogo contra o Patrocinense, mais precisamente no minuto 18 do jogo. Apesar de não ter tido ferimentos graves, a verdade é que o goleiro rapidamente mostrou a barra de ferro ao juiz da partida, que anotou o acontecimento no seu relatório oficial.

A saída de Bruno da prisão, que antes do alegado crime era um dos goleiros mais promissores do #Futebol brasileiro, foi comentada por milhões de brasileiros nos últimos meses, sendo que, na sua grande maioria, garantem não entender como uma pessoa que tinha sido condenada por um crime bárbaro, estava de novo em liberdade, passados apenas cerca de seis anos.

Publicidade
Publicidade

A verdade é que, apesar de toda a polêmica relacionada com o futebolista e de estar afastado dos gramados profissionalmente desde 2010, em muito pouco tempo, Bruno recebeu várias propostas tentadoras de vários times, incluindo de fora do Brasil.

Contudo, se a decisão mais de sair do Brasil, avaliando pela enorme revolta que sua liberdade estava provocando, parecia ser a decisão mais lógica, a verdade é que o ainda jovem goleiro preferiu arriscar continuar praticando futebol no país, tendo escolhido a equipe do Boa Esporte para retornar com sua carreira. Como garante o site “Notícias ao Minuto”, se no seu primeiro jogo oficial tudo parecia ter corrido normalmente, a verdade é que no segundo Bruno viveu um pesadelo. Além de ter sido provocado, insultado e até atacado pela torcida rival antes e no início do jogo, a verdade é que todos os limites foram ultrapassados quando um torcedor do time rival decidiu atirar uma barra de ferro contra ele.

Publicidade

A mesma publicação garante que, segundo informações oficiais do Patrocinense, o responsável por esse ato criminosos foi rapidamente identificado nas arquibancadas, tendo sido imediatamente expulso para não causar mais problemas. Resta agora perceber que, com a medida que o goleiro Bruno tomou para informa o juiz da partida, que até ficou com a barra de ferro na mão, com cerca de 30 centímetros, será suficiente para a Federação brasileira punir exemplarmente o Patrocinense, tentando ao máximo que ataques como esse, sobretudo contra Bruno, possam parar imediatamente. #Hospital