Uma denominação religiosa, de um líder religioso mais famoso ainda, tem causado bastante polêmica quando se trata de salvar seus fiéis. Segundo a denominação, ela promete salvar a todos que frequentam o local de trabalhos de magia negra e #macumba com uma sessão de '#desencapetamento total'. A referida igreja é a Igreja Internacional da Graça de Deus. Talvez você não associe o nome a pessoa, mas o missionário que é o líder religioso da congregação é aquele que está em horário nobre da Band e na Rede TV, bispo R. R. Soares, com o programa 'Show da Fé'.

Publicidade

Para quem não sabe, o Bispo missionário R.

Publicidade

R. Soares era fiel da Igreja Universal de Edir Macedo, dono da Record, mas decidiu trilhar seu caminho solo. A Igreja Internacional da Graça de Deus hoje é um conglomerado que inclui a emissora Rede Internacional de Televisão (RIT), com 24h de pregações religiosas, além de exibição em canais por assinatura, editoras, rádios, uma gravadora gospel e também uma produtora de filmes. Também possui algo em torno de 2 mil Igrejas em diversos países e se destaca pelos milagres e pela 'expulsão dos demônios'.

Voltando ao caso da faixa, os Direitos Humanos decidiram agir e fizeram uma denúncia nesta quinta-feira, 30, contra a igreja evangélica de R. R. Soares. Essa denúncia partiu de Carlos Enrique Santana, coordenador do Movimento Nacional de Direitos Humanos do Paraná, onde a faixa de uma das igrejas localizadas na cidade de Cambé, interior do estado, ficou popular ao cair no noticiário nacional. Entretanto, segundo os veículos de mídia, a faixa pode ser encontrada em qualquer igreja da congregação pelo mundo. Aliás, a Igreja Internacional da Graça de Deus cresceu no mundo com esse propósito, de tirar o demônio das pessoas..

Publicidade

Só que, como explicou Carlos Enrique, o fato passa a ser crime à medida que afeta a religião ou crenças religiosas de outras naturezas, como nesse caso as seitas e religiões africanas, como o Candomblé e Umbanda, que na igreja de R. R. Soares são chamadas de macumba. Além disso, convidar para uma sessão que garanta eliminar desde inveja, doenças incuráveis, vícios e tirar o demônio é um abuso da fé e propaganda enganosa, podendo ser enquadrado inclusive como #charlatanismo.

O promotor do caso disse que depois da pressão popular, a igreja retirou a faixa, mas que o crime será investigado.