Embora milhares de pessoas acreditem que não passa de uma lenda urbana e que as pessoas que participam do jogo mortal #Baleia Azul querem na verdade é aparecer, podemos afirmar que este game é um risco de morte eminente para crianças e adolescentes.

Jogo do suicídio

O desafio e/ou jogo da Baleia Azul, fez duas vítimas fatais no Brasil em menos de oito dias, Maria de Fátima de 16 anos se matou na cidade de Vila Rica localizada no Mato Grosso, ela participava do jogo do suicídio e de acordo com sua mãe e amigos nos últimos dias de vida, ela apresentou atitudes estranhas. A jovem se atirou dentro de uma represa de grande profundidade na terça-feira (11).

Publicidade
Publicidade

Ela deixou duas cartas e em uma delas estavam descritos os desafios propostos pelo game mortal.

Outra vítima fatal deste jogo demoníaco foi Gabriel Antônio de 19 anos, que morava em Pará de Minas em MG, ele deixou a esposa e uma filha de apenas 40 dias de nascida. Sua mãe relatou a polícia que o filho vinha sendo ameaçado, ele havia tentado deixar o jogo, mas não foi possível.

Em ambos os casos a polícia está fazendo uma devassa nos grupos secretos da Baleia Azul, buscando informações sobre os jogadores e "curadores", que podem ser até mesmo presos por icentivar o suicídio, por se tratar de um crime previsto em lei.

De acordo com o portal de notícias G1, uma estudante de 12 anos tentou se matar dentro de uma escola do Rio de Janeiro. A polícia acredita que ela participava de um grupo do jogo Baleia Azul e está investigando o caso.

Publicidade

Tentativa de suicídio dentro de escola

A Delegacia de Repressão a Crimes Virtuais (DRCI), investiga a tentativa se suicídio de uma menina de 12 anos dentro de uma escola. A delegada Fernanda Fernandes, afirmou que testemunhas sobre o caso começaram a ser ouvidas nesta segunda-feira (17).

De acordo com Fernanda a polícia quer saber quem são os responsáveis por induzirem a garota ao suicídio, a denúncia da existência de um grupo da Baleia Azul, chegou até a delegada, depois que a mãe de outra aluna procurou a polícia para relatar a descoberta da participação de sua filha no jogo.

Fernanda afirmou que a maior preocupação neste momento é evitar a morte de outros jovem por causa deste game. Ela relatou que as crianças e adolescentes estão recebendo ameaças e por isso não conseguem abandonar o jogo, os "curadores" conseguem os dados pessoais dos jogadores e ameaçam suas famílias e amigos de morte, caso não cumpram os desafios.

A polícia de todo Brasil faz um alerta aos pais, para que eles conversem com seus filhos sobre este jogo, deixando claro que se trata de um crime. Na opinião dos especialistas em segurança as escolas também devem abordar o tema, para que seus alunos não aceitem convites para participar dos grupos secretos. #Jogo da morte #Casos de polícia