Nesta quarta-feira, 12, o ex-participante do BBB 17, Marcos Harter, esteve na Delegacia da Mulher de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Ele foi ao local prestar um depoimento sobre sua conduta considerada agressiva no 'Big Brother Brasil'. No programa, da TV Globo, ele agia com força com Emilly e para a delegada do caso há elementos que configuram uma agressão contra a mulher. Por isso, Marcos pode ser indiciado baseado na Lei Maria da Penha. A lei, que protege as mulheres, coloca homens agressores na cadeia. A conduta de Marcos no BBB 17 pode fazer ele, caso condenado, ficar de um a três anos na cadeia.

Marcos chegou à delegacia em uma van alugada pela Globo.

Publicidade
Publicidade

Ele estava com a irmã, Caroline, e mais três seguranças contratados pela emissora carioca. Ele ficou no local por cerca de três horas. Ao deixar a delegacia, o namorado de Emilly sorriu para os jornalistas, mas não quis dar entrevistas, uma determinação da Rede Globo de Televisão. Durante todo o tempo em que ele esteve no local, um grupo de fãs - formado em sua maioria por mulheres - gritava que apoiava o médico e que também ele era amado por todas elas. "Força, te amamos", dizia o grupo. Ao deixar a delegacia, Marcos sorriu para todos e ainda fez o sinal de positivo, mostrando que, para ele, tudo está bem, mesmo que ele seja condenado em torno do polêmico caso do 'Big Brother Brasil'.

Veja abaixo o vídeo que mostra a chegada de Marcos à delegacia:

O assunto, rapidamente, ganhou as redes sociais.

Publicidade

"Não tenho dúvidas que a intervenção da justiça, retirando Marcos do jogo foi acertada. Mas igualmente, não tenho dúvidas que o comportamento dele foi resultado da dinâmica do programa, somado a convivência com Emilly, uma garota que leva qualquer um a um nível de desgaste psicológico, por sua personalidade multi problemática. E por último, mas igualmente importante, o fato da rede globo ter explorado a convivência do casal para aumentar o IBOPE", disse um internauta ao comentar o caso.

"Se não fosse a intervenção da delegada, a Globo deixaria o barco correr. Exploraria ao máximo a trama, para promover uma final com alto índice de audiência. Portanto, é muito conveniente colocar todo foco na questão de violência contra mulheres. Assim, é possível eximir a Rede Globo de sua responsabilidade pelos acontecimentos. Enquanto todos estamos condenando Marco", lembrou outro telespectador, colocando parte da culpa do caso na própria emissora. #Crime