Maria Kamylla Santana da Silva, de 28 anos, era auxiliar de enfermagem e morava na cidade de Tabajara, Olinda. Ela entrou em óbito na última quinta-feira (13) depois de usar uma chapa (chapinha).

Segundo familiares, Kamylla estava em seu quarto sozinha alisando o cabelo para ir a uma festa que aconteceria naquele dia e que quando a mãe chegou ao local, a moça estava inconsciente e segurando a prancha em uma das mãos. Ela disse que havia ficado muito preocupada com a filha pois já tinha telefonado várias vezes para ela sem obter resposta.

Publicidade

Kamylla foi socorrida e levada para a unidade de pronto atendimento mais próxima, mas quando chegou ao local já estava sem vida. A moça trabalhava na Upinha da Linha do Tiro, tinha marido, dois filhos, um de 10 e outro de 14 anos de idade, e estrava prestes a terminar seu curso de enfermagem.

Publicidade

Segundo informações, a morte de Maria Kamylla ocorreu porque o fio do aparelho de alisamento que ela usava no momento estaria desencapado e ela não havia percebido. Ao tocar no fio, ela teria recebido uma forte descarga de energia elétrica e desmaiado.

O velória de Kamylla aconteceu na tarde da última sexta-feira (14). Todos que estavam presentes ficaram muito abalados e os familiares da moça não quiseram dar entrevista para a imprensa.

Segundo os dados revelados pela Abracopel - Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade -, no ano de 2015 houve um total de 590 mortes causadas por choques elétricos. Ainda segundo a associação, aproximadamente 44% dos casos de óbitos por descargas de energia são registrados na região Nordeste do Brasil.

Casos como o de Kamylla não são raros. Outro caso que chamou a atenção da população foi o de uma criança de apenas 7 meses de vida, que morreu em janeiro de 2017, na zona sul de Teresina, enquanto brincava com um carregador de celular que sua mãe havia deixado na tomada.

Publicidade

No momento do fato, o carregador estava sem nenhum aparelho, deixando a parte que recebe energia acessível ao bebê. A criança recebeu uma descarga elétrica tão forte que morreu ainda no local.

Tudo isso traz um alerta, principalmente a pessoas que têm crianças pequenas em casa para que evitem ao máximo aparelhos e fios que possam gerar choques elétricos. #choque #Acidente