Neste sábado, primeiro de abril, um crime que aconteceu na cidade de Itaboraí voltou a repercutir. No domingo passado, 26, um pastor evangélico realizava mais um culto em sua igreja. Entre uma oração e outra, durante o ato de pregação, ele foi alvejado a tiros. Inicialmente, os fiéis ficaram horrorizados com o que aconteceu e, mais tarde, a revolta foi ainda maior. Isso porque acredita-se que o pastor evangélico tenha sido morto devido a um acerto de contas. Ele era tutor de uma criança, cujo pai estava preso acusado de matar a ex-mulher, mãe do menino. A criança, durante o tempo que ficou com o pastor (não revelaremos o nome do religioso e do menor por motivos jurídicos), teria sido abusada sexualmente.

Publicidade
Publicidade

Uma ferida em seu ânus comprovaria o estupro.

O caso chegou a ser noticiado pelo G1, o portal de notícias da Globo. De acordo com uma reportagem do site, o religioso tinha cinquenta e sete anos. O principal suspeito de matar o homem é o pai do menino. Ele, que acabara de sair da cadeia, estava muito revoltado com o que aconteceu com o seu filho de dois anos. Testemunhas disseram à polícia que ouviram o homem reclamar muitas vezes sobre o tal estupro. Fábio Barucke, delegado que investiga o caso, confirmou que o pai do menor de dois anos é mesmo o principal suspeito do assassinato em meio ao culto. No entanto, ele revelou que o suspeito prestou depoimento e que negou a ação.

O pai do menino contou que disse a história do estupro para algumas pessoas da comunidade onde mora e que, dessa forma, involuntariamente, os traficantes do local teriam descoberto e ficado com muita raiva do pastor evangélico.

Publicidade

Segundo ele acredita, podem ter sido os traficantes que assassinaram a sangue frio o religioso, que até então era visto apenas com um bom homem, que ajudava as pessoas.

Os fiéis estão divididos. Alguns preferem não falar sobre o assunto, já outros duvidam que o pastor seria capaz de cometer ato tão cruel, especialmente contra um bebê de dois anos. Eles fizeram, inclusive, orações online. #Crime #Investigação Criminal