Um pastor brasileiro está causando a maior revolta na internet por conta da apalpação de seios de fiéis. Identificado como Antônio Mercury, o homem, de 59 anos, está dando o que falar com a suposta bênção divina nos seios de mulheres que frequentam a sua igreja.

A informação foi dada por diversos sites da internet, como o "Jornal A Tribuna", mas negada por outros, como o "E-Farsas", que diz que o caso brasileiro teria sido inspirado em um internacional. Vamos ao caso veiculado pelo jornal A Tribuna, que causou grande repercussão em todo o país. É comum que a igreja seja sempre um local considerado sagrado, onde as pessoas fazem suas preces e orem a Deus.

No entanto, religião sempre é um tema polêmico e muitos líderes de igrejas têm entrado em situações que dão o que falar.

Publicidade
Publicidade

Isso acaba, por muitas vezes, manchando a imagem de templos conhecidíssimos. Por conta de uma pessoa mal intencionada, ou que leva o ensinamento de sua seita de forma deturpada, todos acabam ficando mal falados.

De acordo com o site "A Tribuna", em Goiás, mais precisamente no município de Aporé, um homem de 59 anos teria criado uma seita em que as mulheres tem os seios benzidos. O pastor, identificado no site como Antônio Mercury, faria questão de sempre passar a mão da parte íntima das fiéis.

Isso acabou sendo comentado em toda a cidade, até que chegou aos ouvidos da polícia. O E-Farsas, portal vinculado ao site R7, diz que a polícia local não teria essas informações. Já o site que divulgou o conteúdo em primeira mão confirma que tudo aconteceu.

Uma das vítimas teria conversado com o site.

Publicidade

O pastor teria dito que acha que seus filhos são muito abençoados e que se nutrem de muitas bênçãos. As sessões em que o religioso benzia os mamilos das fiéis duravam, cada uma, cerca de uma hora.

O site dá até detalhes de como tudo acontecia. De acordo com a publicação, até músicas de fundo evangélicas seriam usadas. O portal diz que conversou com uma delegada, que teve o nome divulgado e tudo. Até a publicação dessa reportagem, o site que noticiou o caso em primeira não não havia dado qualquer errata ou nota sobre o fato de outros negarem que os fatos ocorridos ali realmente existiram, ou se tudo não se tratava de uma notícia fake.

E você, o que achou da divulgação da notícia que mexeu com a internet? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo de temas diversos para toda a sociedade. Não esqueça de participar. #Crime