Um vídeo que está circulando em páginas policiais no Facebook mostra um rapaz relatando, com muita dificuldade e dor, o que aconteceu com ele após ser flagrado com um vidro de lança-perfume por policiais militares.

“Os cara me enquadrou e jogaram o lança-perfume na minha bunda, tio”, explica o rapaz, que se contorce de ardência em uma cadeira, na pizzaria de um parente e sem saber que estava sendo filmado.

Ele responde à pergunta do homem que está registrando o momento, com um aparelho celular. “Mas tá doendo, tá ardendo?”, pergunta de novo.

“Lógico que dói, você não entendeu ainda?”, responde ele entre gemidos de dor, com a mão no rosto.

Publicidade
Publicidade

“Os caras te pegaram aqui?”, questiona o comerciante. “Sim aqui na esquina”, responde.

“Mas o lança dói? Me explica que eu nunca vi”, insiste o cinegrafista amador, para manter a gravação. “Você tá de brincadeira né? Você quer sentir a dor, eu tenho um lança aqui, quer?”, retorna, já sem paciência o jovem com as nádegas prejudicadas.

“Mas os caras não jogaram tudo?”, continua interlocutor.

“Tudo não, jogaram o que estava na garrafinha, mas eu tenho outro lança. Quer que eu jogue em você? Quer sentir a dor tio, tá de brincadeira?”.

Ele volta a se lamuriar bastante, sem posição por causa do desconforto. “Filho da p... Polícia desgraçada. Essa p... arde Caetano”.

“E eu tenho o que com isso? Eu tô aqui na pizzaria trabalhando e você vem aqui dizer que o c... tá ardendo. Eu não tenho nada a ver com isso”.

Publicidade

“Tá ardendo de lança, tio. Não é o contrário que você está pensando aí...”.

“Eu não estou pensando nada. Quero entender como foi...”, prossegue, mantendo o assunto para o vídeo.

“Se eu estou com a pistola na mão isso não ia ser assim não”, reclama o jovem, em tom de raiva, para na sequência praguejar mais uma vez o episódio. “Ainda bem que secou, mas tá ardendo para a p....”.

De repente, ele olha para seu interlocutor e percebe que o tempo todo ele estava filmando o diálogo. “Está filmando né Caetano, seu filho da p...”. O vídeo termina depois de quase dois minutos, com o rapaz indo para cima do cinegrafista.

Considerada uma droga desde a década de 1960, o lança-perfume parece ser uma substância inofensiva, mas não é.

O princípio ativo desta substância é o cloreto de etila e uma vez inalada dá ao usuário uma sensação imediata de bem-estar. Segundo os especialistas, causa excitação, euforia e alterações auditivas e visuais. Mas depois podem vir uma desorientação nada confortável. Até depressão e alucinações já foram descritas como efeitos colaterais. Quando utilizado em dose maior, a droga pode provocar desmaios e evoluir para coma e parada respiratória se a pessoa não for rapidamente socorrida.

#Crime