João Victor Souza de Carvalho, de 13 anos, ficou conhecido em todo o país como o 'Menino do Habib's'. O garoto acabou morrendo, após uma polêmica atuação dos seguranças da rede de fast-food em uma das suas unidades, no estado de São Paulo. A família de João acusa os seguranças de serem tão agressivos com o garoto, que foram capazes até de matá-lo. Após a morte, um exame chegou a ser feito no cadáver da criança e nele ficou caracterizada que o falecimento do menino ocorreu após uma falha cardíaca. O menino teria tido os problemas no coração, após ingerir substâncias ilícitas - drogas - como uma substância semelhante ao lança perfume.

A família conseguiu na justiça que o corpo do garoto fosse desenterrado e exumado.

Publicidade
Publicidade

A Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo decidiu nesta quarta-feira, 12, revelar um novo exame feito no cadáver da criança. Ele caracterizou o motivo para o falecimento da criança. Novamente, o exame constatou que a morte foi por problemas cardíacos e que lesões não foram encontradas na criança. Ou seja, não há qualquer prova que indique que supostas pancadas dadas no garoto tenham sido o motivo do falecimento dele. Um trecho do documento divulgado pela Secretaria diz que novamente ficaram evidenciados que o menino ingeriu, pouco antes de seu falecimento, substâncias como o tricloroetileno, presente no lança perfume.

Francisco Carlos da Silva, advogado da família do "Menino do Habib's", conversou com a 'Folha de São Paulo' e deu sua explicação sobre o que teria acontecido com o corpo do menor.

Publicidade

De acordo com ele, o cadáver estava em estado avançado de decomposição. Por isso, o resultado evidenciado (novamente) pela polícia era de estranhar. Ele ainda indica que apenas esse resultado não é suficiente para dizer que não houve agressão e que foi ela que causou a morte do garoto. Há ainda vídeos que mostrariam o comportamento dito como "inadequado" dos profissionais da segurança da rede se fast-food.

Há ainda um vídeo que mostra o garoto agressivo, jogando um pedaço de pau perto de um dos carros que ficava estacionado na região. O veículo quase ficou prejudicado devido a ação do menor de idade. A família de João disse que um advogado do Habib's teria tentado coagir o pai do garoto, na tentativa de conseguir um acordo fora da justiça. Esse, por sua vez, diz querer apenas justiça. E você, o que pensa sobre o assunto? Deixe o seu comentário. Ele é importante. #Crime