O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos julgamentos da Operação Lava Jato em primeira instância, participou de palestra na Universidade Católica da Argentina, em Buenos Aires, na terça-feira (4). Justamente A operação foi o principal assunto da palestra de Sérgio Moro na capital argentina. Segundo o juiz, os casos dessa operação são tratados com o máximo de transparência e publicidade.

“É importante que a opinião pública possa controlar o que está acontecendo, saber o que a Justiça está fazendo", declarou o juiz, que afirmou ainda que a opinião pública protegeu a Justiça ao apoiá-la.

Comemoração

Para ele, quando há envolvimento de pessoas poderosas sempre há pressão e risco de obstrução do andamento do processo.

Publicidade
Publicidade

A #Lava Jato envolve nomes de velhos lobos da política nacional.

Moro comemorou o apoio público que recebeu. Em todo o Brasil, milhões de pessoas saíram às ruas para defender a Lava Jato e o juiz se tornou um herói nacional. Claro que isso fez com que ele fosse amado por alguns e odiado por outros.

Para Moro, a Lava Jato serve para reforçar a democracia do Brasil e combater a corrupção sistêmica.

Pressões

Estar à frente do julgamento de uma operação como a Lava Jato, que envolve pessoas poderosas, só pode resultar em pressão. Sérgio Moro não escondeu durante a palestra que foi pressionado. “Pressões sempre há”, disse o juiz diversas vezes durante a palestra.

Recentemente, Sérgio Moro expediu condenação de 15 anos ao ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Publicidade

Cunha, até pouco tempo atrás, era o todo-poderoso da política nacional.

O parlamentar foi o responsável pela abertura do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Luiz Inácio Lula da Silva é outro que está na mira da justiça. O ex-presidente é réu em cinco processos, três deles da Lava Jato.

Depoimento de Lula

Sérgio Moro não comentou sobre este assunto, mas um dos momentos mais aguardados da política nacional é o depoimento que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dará ao juiz no próximo dia 3 de maio, em Curitiba, no Paraná.

O julgamento do ex-presidente, que não tem foro privilegiado, será um momento histórico. Lula é réu em cinco processos, três deles da Operação Lava Jato.

Deixe nos comentários a sua opinião sobre o juiz federal Sérgio Moro e sobre a sua atuação à frente dos julgamentos da Operação Lava Jato. Moro tem fortalecido a democracia ou é partidário? #Sergio Moro