No início da manhã desta terça-feira (04), a Polícia Civil de Minas Gerais divulgou em nota oficial, que o cantor Victor Chaves será indiciado pelas agressões cometidas contra a esposa, no início deste ano. Ele teria batido na mulher, Poliana Bagatini Chaves, de 29 anos, que está grávida no segundo filho do casal. A violência teria acontecido no dia 24 de fevereiro, no apartamento dos dois, no bairro Luxemburgo, em Belo Horizonte. A vítima estaria em casa em companhia do marido, e da sogra, e teria sido agredida a ponto de cair no chão. Segundo relatos da mesma, ela teria sido impedida de sair do local, depois que a violência aconteceu.

Foi quando começou a gritar insistentemente até que uma vizinha percebesse o que estava acontecendo e corresse para ajudá-la.

Publicidade
Publicidade

Parte das agressões teriam acontecido com ela caída no piso do elevador a medida que ele deferia chutes na mesma. A mulher do cantor, então se dirigiu para a Delegacia da Mulher no centro da cidade, onde registrou um boletim de ocorrência, e foi encaminhada para a realização de exame de corpo de delito. Apesar de tantas provas contundentes sobre a veracidade do testemunho, o artista veio a público para negar que tivesse agredido a mulher naquela noite. De acordo com os investigadores da Polícia Civil, na nota divulgada, existem provas através das imagens do circuito interno de segurança do prédio, e do depoimento da vítima que corroboram para a veracidade das acusações, e foram suficientes para concluir o inquérito.

O laudo das imagens das câmeras de segurança ainda não foi divulgado pela polícia que aguardava apenas essa informação para dar finalização o inquérito.

Publicidade

O cantor resolveu não se manifestar diante da acusação formal, e disse através de seu assessor que se pronunciará somente em coletiva a ser realizada em data e local definidos por seu advogado de defesa.

O inquérito policial foi encaminhado à Justiça, que deve receber o aval do Ministério Público assim que trâmites processuais forem concluídos. O laudo do corpo de delito na época teve resultado negativo, o que levantou a hipótese de que a violência não tivesse acontecido. No entanto, sozinho esse resultado não exclui a possibilidade de agressão. Por isso, somadas as provas os investigadores da Polícia Civil acharam por bem indiciar o cantor, que continua reiterando que os atos de violência não ocorreram. #Crime #Casos de polícia