Um boato compartilhado pelo WhatsApp quase terminou em tragédia para um homem e uma mulher, moradores de Araruama, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. O casal foi espancado por moradores que reconheceram a foto e a placa do carro do rapaz, depois que fotos dos dois foram amplamente divulgadas pelo aplicativo de celular afirmando que eles se tratavam de sequestradores de bebês.

A notícia, que na verdade era falsa, criou revolta na população, que por pouco não linchou as vítimas, que foram violentamente agredidas, mas acabaram salvas por guardas municipais que passavam pelo local. O carro do rapaz foi depredado e acabou queimado pela multidão.

Publicidade
Publicidade

Pâmela e Luiz, que são companheiros de trabalho, foram cercados por um grupo enfurecido quando almoçavam juntos. Além de ter o carro destruído, o rapaz foi atingido por uma pedrada na cabeça. Já a mulher teve ferimentos moderados no rosto, nos braços e nas pernas. O pai da vítima, inclusive, estava próximo do local quando a confusão começou e tentou desesperadamente acalmar a multidão para que sua filha não fosse espancada, sem sucesso. Depois disso, ele também teve fotos suas tiradas e compartilhadas pelo #WhatsApp como se fosse mais um acusado de sequestrar crianças na região.

Vídeo mostra briga em Araruama após boato no WhatsApp:

Vizinhos da Pâmela e do pai da jovem, que vivem na região há 30 anos, afirmam que os dois nunca se envolveram em nenhum tipo de confusão e são pessoas pacatas.

Publicidade

De acordo com informações da polícia, há tempos já existe um boato de que sequestradores de crianças estariam agindo na região, porém, o fato não foi confirmado pelas autoridades locais. A polícia afirma que não há queixa de crianças desaparecidas naquela localidade. O mal entendido teria começado depois que Luiz, uma das vítimas espancadas, teria parado e pedido informação para uma mulher na rua, que estaria levando um bebê no colo. Com medo, a mulher então teria tirado uma foto do homem e da placa do carro e espalhado as imagens pelo WhatsApp.

A polícia espera agora que as imagens da confusão ajudem a identificar e punir os responsáveis pela agressão. Uma mulher, acusada de incendiar o automóvel foi detida.

Já o casal agredido se recupera das violentas agressões e afirmou que pretende identificar e processar os responsáveis por espalhar o falto boato em Araruama. Luiz condenou a #Violência da qual foi vítima e as consequências que esse tipo de boato espalhado pelo WhatsApp e pelas redes sociais têm na vida e na rotina das pessoas.