Carrões de luxo dirigidos por mentes jovens e imaturas e guiados por mãos imprudentes podem se tornar verdadeiras máquinas mortíferas, tão letais quanto qualquer arma de fogo.

Em Santos, litoral de São Paulo, esse conjunto de ingredientes perigosos acabou tirando a vida de um adolescente de 17 anos, no último domingo (9). Ele estava atravessando uma rua com o pai, que é vendedor ambulante, e acabou sendo atropelado. Matheus da Silva Souza do Nascimento ajudava o pai a carregar um carrinho de bebidas, destes que atuam nas praias da região.

Quem estava conduzindo o carro de luxo que jogou longe o estudante era também um jovem, apenas três anos mais velho do que a vítima.

Publicidade
Publicidade

Raphael Aflalo Lopes Martins, de 20 anos, atua como goleiro profissional e dirigia sua BMW em alta velocidade. Ele arremessou Matheus por alguns metros, como pode ser visto nas imagens das câmeras de monitoramento viário da cidade.

O atleta atuou pelo Corinthians, chegando a ser campeão brasileiro pelo Sub-20. Com o fim do contrato, estava negociando a ida para o Santos Futebol Clube, cidade onde reside com a família, uma das mais ricas da região.

O jogador de futebol estava com a CNH vencida e por isso tentou fugir do local, sem prestar socorro à vítima. No entanto, foi segurado por populares, que impediram a sua saída até a chegada da Polícia Militar.

Rafael garantiu que não havia consumido bebida alcóolica e fez exames de sangue para comprovar que estava sóbrio no momento do atropelamento.

Publicidade

O acidente aconteceu na parte da tarde, na Avenida Epitácio Pessoa, via paralela à orla da praia, no bairro da Aparecida.

O atleta foi indiciado por homicídio culposo (que é quando não há intenção de provocar morte), na condução de veículo automotor.

O carro que levou à morte o adolescente, diante do pai, é uma BMW 318 IA, de cor prata. Inconsolável, Jairo Gomes do Nascimento, pai do estudante, clama por justiça.

Segundo as autoridades policiais, Matheus chegou a ser socorrido à Santa Casa de Santos, mas, ao chegar no hospital, teve uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. Já o condutor da BMW teve apenas alguns ferimentos leves e ficou em observação em um hospital particular do município.

O carro também atingiu outros veículos que estavam estacionados na mesma via.

Rafael negou que andava em alta velocidade, porém as imagens mostram que provavelmente ele havia excedido o limite de velocidade da avenida, que é de 50 km/h, quando perdeu o controle do carro e atropelou a vítima.

#Esporte #Crime #Casos de polícia