Deu errado os planos de uma quadrilha que tentou assaltar um carro-forte na Baixada Fluminense, nesta quinta-feira (13). Um dos integrantes do bando acabou baleado por vigilantes do carro-forte. Eles trocaram tiros com os assaltantes rua Marechal Castelo Branco, em Nilópolis.

Um dos suspeitos teria recebido um tiro de 12 e ficou na rua agonizando. Muitos populares se juntaram para filmar e hostilizar com chutes e xingamentos o suspeito ferido, cujo nome dele não foi divulgado.

Um dos pedestres grita que o suspeito não resistiu e que já está “sentado no colo do capeta”. Em outro vídeo, onde o acusado baleado na perna está sentado na pista entre dois carros, um homem grita muitas vezes para que o motorista engate a ré e passe por cima do ferido.

Publicidade
Publicidade

“Esses caras têm que morrer mesmo”.

Depois o ferido desaba e fica desacordado no chão.

A ocorrência

Não foi informado se algum vigilante ficou ferido. De acordo com testemunhas, os bandidos esperaram o momento em que era feita a reposição de dinheiro em um caixa eletrônico 24 horas para agirem. Mas não esperavam que o poder ofensivo dos vigilantes seriam tão grande.

Enquanto um dos criminosos foi baleado, os demais membros da quadrilha conseguiram fugir. Ainda não há informações sobre quantos homens estariam envolvidos na tentativa de assalto.

A Secretaria de Segurança Pública informou que o Batalhão de Mesquita (20º BPM) foi acionado para dar reforço. Os homens da equipe tentaram realizar um cerco para prender os outros participantes do bando, mas até as 15h30 de quinta-feira (13) nenhum suspeito havia sido identificado e preso.

Publicidade

Já o suspeito baleado foi encaminhado para o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, em Nilópolis. Alguns veículos de imprensa informaram que ele não teria resistido aos ferimentos e morreu. Ele seria conhecido como Hip-Hop e seu nome de batismo é Leonardo do Espírito Santo Rodrigues.

Ele era natural de São João de Meriti, tinha 28 anos de idade e estava sendo procurado pela polícia pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico. Sua foto e seus dados constam do Portal dos Procurados, que oferecia uma recompensa de R$ 1 mil por sua captura.

Nesta sexta-feira (14), equipes da Polícia Militar ainda fazem buscas para encontrar pistas que levem até os demais integrantes da quadrilha. O caso está com as investigações sob a responsabilidade da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminese (DHBF). #Crime #Investigação Criminal