A agressão sofrida por um cão que vive em um posto de combustíveis comoveu a cidade de Jaú, interior do Estado de São Paulo. O ataque aconteceu no último sábado (20) e foi cometido por um andarilho que passava em frente ao posto.

O ataque ao cãozinho vira-lata causou comoção porque ele é o mascote do posto de combustíveis. De acordo com o proprietário do local, Marcelo Furlaneto, o animal, que se chama Nacional, teve a barriga perfurada pela tesoura.

Ataque

O ataque a Nacional aconteceu no sábado durante a tarde. Tudo aconteceu quando um andarilho passava em frente ao local e o #cãozinho mascote do posto começou a latir para o #Cachorro que o homem trazia consigo.

Publicidade
Publicidade

Para defender seu animal de estimação de um suposto ataque, o andarilho pegou uma tesoura e agrediu Nacional com tesouradas, que deixaram o animal ferido na barriga. Todas essas informações passadas pela Polícia Militar (PM).

Casos de agressão a animais se enquadram na Lei de Crimes Ambientais. A de número 9.605, de 1998, em seu artigo 32, tipifica como crime a agressão a animais. A pena pode variar entre três meses e um ano de prisão.

Depois da agressão, que deixou a todos comovido, o animal foi levado a uma clínica veterinária, onde recebeu atendimento, levou quatro pontos na barriga e deixou o local no mesmo dia.

Nacional

A história do cãozinho Nacional com o posto de gasolina de mesmo nome já dura sete meses. Não se sabe como ele foi parar lá, mas desde que chegou tem conquistado as pessoas e virou mascote de todos – entre funcionários e clientes.

Publicidade

Sem raça definida (SRD), nome bonito usado para dizer que o cãozinho é vira-lata, Nacional mora no estabelecimento e já foi eleito o “funcionário do mês”, além de já ter recebido um crachá de funcionário.

No domingo (21), dia seguinte a agressão a tesoura, Nacional estava abatido e não quis se alimentar. Mas desde segunda-feira, ele voltou a se alimentar normalmente e já está interagindo novamente com funcionários e clientes do posto.

Segundo a polícia, pessoas estavam criando perfis falsos nas redes sociais e incitando agressão ao andarilho que deu as tesouradas em Nacional. O proprietário do posto explicou que não é necessário toda essa revolta, nem se deve fazer justiça com as próprias mãos.

O andarilho que agrediu o cachorro, na verdade, precisa de ajuda e sua família está preocupada com o que pode lhe acontecer, já que muitas pessoas veem agressão contra animais como um crime brutal. #Violência